quarta-feira, 27 de junho de 2012

Um programa mal estruturado


Ontem fui ver o novo programa da Globo, Encontro com Fátima Bernardes. O tema era interessante pra mim, pois desde meus 14 ou 15 anos tinha vontade de adotar, mas não queria adotar bebês, queria adotar crianças de 5 anos ou mais, a qual se chama adoção tardia. E era sobre isso que se tratava o programa de ontem, além de outros assuntos que foram abordados durante o programa.
Achei o programa interessante, mas meio atropelado, sem muita informação. Esperava que explorassem mais o assunto sobre adoção tardia, mas no final fiquei desapontada. Penso que eles, o pessoal do programa, queriam abordar muitos assuntos num único dia de programa e de temas distintos, o que não abria a possibilidade para discussões realmente, que era o intuito do programa, pelo menos era o que eu havia entendido nas chamadas do programa. Bom, só sei que tudo o que não teve foram discuções entre as pessoas que estavam no programa ou até mesmo de pessoas fora do programa, porque poderias enviar sua opinião para o programa via internet.
Um programa de discuções que gosto, mas que pouco assisto, é um que passa na TV Brasil, chamado Sem Censura com Leda Nagle.

"O nosso compromisso é com você, telespectador do Sem Censura, que quer ser informado, saber o que está acontecendo no Brasil e mesmo no mundo nas diferentes áreas da atividade humana.
Nosso programa, de alcance nacional, busca também mostrar o painel cultural brasileiro com tantas tendências diferentes, mas onde há espaço e oportunidades para todos.
As últimas descobertas da medicina, a preservação do meio ambiente, a busca pela melhoria da qualidade de vida, a informação cultural, as formas de lazer e de divertimento fazem deste programa que é sinônimo de entretenimento com responsabilidade.
O Sem Censura é ainda prestação de serviços, formador de opinião, sem privilegiar correntes políticas, dando a todos, convidados e telespectadores, a oportunidade de expressar o que sentem".

É um programa melhor estruturado que não aparenta estar correndo contra o tempo, que nem Encontro que não deixa seus convidados apresentarem e explanarem melhor suas opiniões sobre os temas e parece que cortam no meio, não tem uma finalização do assunto. Se bem que isso é meio que padrão RBS, né? Porque até o jornal é assim, sem finalização do assunto, com falta de informações. Já fiquei várias vezes na frente da televisão com cara de c* esperando saber se a pessoa morreu ou não ou o que aconteceu depois de um evento como espancamento ou acidente de carro ou coisa assim. E se a RBS não quer perder ibope, vão ter que melhorar e muito o programa Encontro ou colocar a TV Globinho de volta ao ar de segunda à sexta e não somente no sábado.

Este "episódio" (não sei como se chama) do Sem Censura é bem interessante, pelo menos pra mim, que ainda quero escrever alguma coisa sobre o maestro João Carlos Martins que é um exemplo de superação. Tem aproximadamente uma hora e meia de duração, mas vale a pena!


Bom, não era nada disso que eu queria colocar aqui. Mas minha intuição acabou me guiando para outro caminho e como sempre um bom caminho. O que eu queria escrever aqui mesmo era sobre minha vontade de adotar uma criança mais velha algum dia. Já até sonhei com isso. Mas minha mãe é meio contra, porque uma criança mais velha carrega muitos problemas, sentimentos de rejeição. Bom, isso eu já sei.


Por hoje é só, que meu cérebro está fritando já. Brincadeira! É esta gripe que está me matando. É muito chato ficar assim. Mas daqui a pouco passa!

Nenhum comentário: