sábado, 25 de dezembro de 2010

Amor versus medo

Todos os atos realizados pelos seres humanos se baseiam no amor ou no medo, não simplesmente os que dizem respeito aos relacionamentos. As decisões que afetam os negócios, a indústria, a política, a religião, a educação de seus jovens, os compromissos sociais de suas nações, os objetivos econômicos de sua socidade, as escolhas que envolvem guerra, paz, ataque, defesa, agressão, submissão, as determinações de cobiçar algo ou dar aos outros, guardar ou partilhar, unir ou dividir - todas as escolhas feitas por livre vontade que já fizeram surgem de um dos dois únicos pensamentos possíveis que existem: de amor ou medo.
O medo é a energia que restringe, paralisa, retrai, leva-os a fugir e esconder-se, e fere.
O amor é a energia que expande, move, revela, leva-os a ficar e partilhar, e cura.
O medo cobre os seus corpos de roupas, o amor lhes permite ficar nus. O medo os faz segurar tudo o que têm, o amor dá tudo aos outros. O medo sufoca, o amor mostra afeição. O medo oprime, o amor liberta. O medo irrita, o amor acalma. O medo critica, o amor regenera.
Todos os pensamentos e atos e todas as palavras humanas se baseiam em uma dessas emoções. Vocês não têm escolha em relação a isso, porque nada mais há a escolher. Mas têm livre-arbítrio para decidir qual dessas escolher.

Conversando com Deus
Neale Donald Walsch

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Bola pra Frente




Mas nem sempre se faz aquilo que se diz querer
Nem sempre se quer aquilo que tem que fazer
Sei que tudo me é lícito
Mas nem tudo convém
Não dou lugar à carne faça isso você também

Pois eu tenho um manual e é ele que eu sigo
Nem mais nem menos nele já tá tudo escrito
Porque eu dependo disso e sem isso eu não vivo
Palavra de Deus não é apenas só um livro

É simplesmente Deus querendo falar com você
Entregue sua vida deixa ele resolver...

A Tua palavra me mudou
Aquele que eu era hoje já não sou
Eu to diferente mudou minha mente
Bola pra frente junto com você

Bola Pra Frente - Lex Skate Rock

Fonte: Sim senhorita!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Um pouco de amor próprio

Falei anteriormente numa postagem o seguinte:
"Ai, que coisa! Já estou estou falando de amor. Ultimamente é uma coisa que eu estou falando bastante. Mas fazer o que!? As pessoas me enviando coisas, frases, textos, etc. que falem sobre isso, e quando vou pesquisar imagens bonitas e diferentes para por aqui, encontro blogs que falam a mesma coisa.
Amor, amor! Que droga o amor!
Não podemos com ele, não vivemos sem ele!"
Talvez eu esteja falando tanto de amor, porque estou descobrindo um amor que a muito havia perdido. Meu amor próprio. E estou descobrindo neste amor um mundo maravilhoso e cheio de recomprensas. Estou aprendendo comigo mesma a crescer. A me desenvolver. A acreditar em meu potencial, mesmo que outros digam que não é possível, seguirei em frente com minha fé e meu amor próprio.
Estou orgulhosa de mim. Ia fazer umas loucuras esta semana por causa de uma pessoa, que eu amo e não teria problema pra mim cometer estas loucuras se eu não acabasse pisando em meu amor próprio, porque seria um ato de desespero e não de amor. Então, nós dois nos encontraríamos numa situação um tanto quanto constrangedora. E eu não quero isso, porque não quero que a pessoa saia da minha vida. Ela é muito especial pra mim. Apesar de eu infernisar a vida dela com minhas bobagens diariamente. Gosto de conversar com ela. Brigar com ela. Discutir e tentar persuadi-la, mesmo sabendo que ela tem plena convicção no que acredita, ou seja, não consigo nada. E, às vezes, quero uma coisa como aprender dança de salão com ela e ela não quer, mesmo se eu jogar charminho, não cede.
E eu estou escrevendo tudo isso com um sorriso bobo no rosto. Pra variar... Um dia quem sabe a gente volte a se acertar ou, talvez, cada um siga seu próprio caminho, mas sempre seremos amigos!

Mas por quê? Por que nós fazemos isso?

Todas as ações humanas são motivadas em seu nível mais profundo por uma entre duas emoções: medo ou amor. Na verdade, apenas duas emoções - apenas duas palavras na liguagem da alma. Esses são os extremos opostos da grande polaridade que Eu criei quando produzi o universo e o seu mundo, como o conhecem hoje.
Há dois pontos - o Alfa e o Ômega - que tornam possível a existência do sistema que vocês chamam de "relatividade". Sem os dois pontos, essas duas idéias sobre as coisas, nenhuma outra idéia poderia existir.
Todos os pensamentos e atos humanos se baseiam no amor ou no medo. Não há outra motivação humano, e todas as outras idéias se originam dessas duas. São simplesmente versões diferentes - variações do mesmo tema.
Pense bastante sobre isso e perceberá que é verdadeiro. É o que Eu chamei de Pensamento Responsável, um pensamento de amor ou medo. É o primeiro pensamento, por trás do pensamento - sua força motora. É a energia natural que põe em movimento a máquina da experiência humana.
E eis aqui como o comportamento produz experiência após experiência; é por isso que os seres humanos amam, depois destroem e então amam novamente: sempre existe a passagem de uma emoção para outra. O amor abona o medo, que abona o amor que abona o medo...
... E o motivo é a primeira mentira - aquela que vocês têm como verdadeira em relação a Deus - a de que não se pode confiar Nele; nem depender do Seu amor; e que a aceitação Dele a seu respeito é condicional; que, portanto, o resultado final é incerto. Porque se vocês não puderem confiar em que o amor de Deus sempre existirá, no amor de quem poderão confiar? Se Deus os abandonar quando não agirem adequadamente, os simples mortais não farão o mesmo?
... E então sucede que quando vocês juram o seu amor mais sublime, enfrentam o seu maior medo.
Porque a primeira coisa com que se preocupam depois de dizerem "eu o amo" é se ouvirão o mesmo como resposta. E se ouvirem, começarão imediatamente a preocupar-se com a possibilidade de perderem o amor que acabaram de encontrar. E por isso toda ação se torna uma reação - uma defesa contra a perda - até mesmo quando vocês tentam defender-se contra a perda de Deus.
Contudo, se soubessem Quem São - os seres mais maravilhosos e notáveis que Deus já criou - nunca sentiriam medo. Quem os poderia rejeitar? Nem mesmo Deus encontraria falhas em seres assim.
Mas vocês não sabem Quem São, e se consideram ser muito menos.

Livro Conversando com Deus
de Neale Donald Walsch

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Mais uma vez amor... Que coisa!


"Um casamento só é feliz quando nos apaixonemos muitas vezes e sempre pela mesma pessoa"


Esta imagem é muito boa. Uma cama, um ninho de amor.

Achei linda esta frase. Que traz uma verdade. Para os amantes, isso significa que todos os dias deve-se observar seu amado ou sua amada com outros olhos. Ver seus defeitos como charme. E suas qualidades como algo incrível, especial e único.
Ai, que coisa! Já estou estou falando de amor. Ultimamente é uma coisa que eu estou falando bastante. Mas fazer o que!? As pessoas me enviando coisas, frases, textos, etc. que falem sobre isso, e quando vou pesquisar imagens bonitas e diferentes para por aqui, encontro blogs que falam a mesma coisa.
Amor, amor! Que droga o amor!
Não podemos com ele, não vivemos sem ele!

Algo feliz pra mudar um pouco o tom

Vou escrever uma postagem alegre, porque sábado só postei coisas meio tristes. Mas não estava triste. Só depois quando vi o filme "Uma Prova de Amor". Noooossa! Que filme lindo e triste! Chorei bastante.
Postei a música "Sempre te amar", porque a Fernanda, minha amiga da universidade, falou-me sobre ela e fui vê-la em seu orkut. Achei-a maravilhosa e adicionei ao meu orkut. Depois vim postar aqui. Eu sempre gostei da cantiga de ninar O Cravo brigou com a Rosa. Era uma das minhas favoritas em minha infância.
Depois postei os textos "Era só um sonho", "Malditas Lágrimas", a frase "Céu azul acima das nuvens", "Esperar" e "Acaba encontrando...". Era só um sonho, porque muitas vezes tive sonhos com alguém especial e sem rosto. Malditas lágrimas, porque muitas vezes não quero mais chorar ou sofrer. Céu azul acima das nuvens, para me lembrar que por mais que meu dia esteja na maior tempestade, acima das nuvens há um céu azul me esperando. Esperar, porque vou continuar a esperar alguém especial e que também espera por mim, ou seja, é mais um insentivo pra mim de que sempre existe um sapato velho para eu calçar que nem na minha música favorita do Roupa Nova, que é tão linda:
"Você lembra, lembra
Daquele tempo
Eu tinha estrelas nos olhos
Um jeito de herói
Era mais forte e veloz
Que qualquer mocinho de cowboy
Você lembra, lembra
Eu costumava andar
Bem mais de mil léguas
Pra poder buscar
Flores de maio azuis
E os seus cabelos enfeitar
Água da fonte
Cansei de beber
Pra não envelhecer
Como quisesse
Roubar da manhã
Um lindo pôr de sol
Hoje, não colho mais
As flores de maio
Nem sou mais veloz
Como os heróis
É talvez eu seja simplesmente
Como um sapato velho
Mas ainda sirvo
Se você quiser
Basta você me calçar
Que eu aqueço o frio
Dos seus pés
Água da fonte
Cansei de beber
Pra não envelhecer
Como quisesse roubar da manhã
Um lindo por de Sol
Hoje não colho mais
As flores de maio
Nem sou mais veloz
Como os heróis
É talvez eu seja simplesmente
Como um sapato velho
Mas ainda sirvo
Se você quiser
Basta você me calçar
Que eu aqueço o frio
Dos seus pés

Vaga Lume - Sapato Velho - Roupa Nova

O texto Acaba encontrando..., porque um dia eu acabo encontrando alguém que me ajude a realizar meu sonho de primeiro amar e ser amada e de ter filhos para formarmos nossa própria família.
Então, eu até que estou feliz, na medida do possível. O verão já está começando a dar o ar de sua graça. Apesar de que tem horas que faz frio, por causa da chuva que cai de vez em quando. As festas de final de ano estão chegando. Vou viajar pra Floripa. E... Sei lá... A vida continua...

sábado, 18 de dezembro de 2010

Acaba encontrando...

Por Deborah Vargas do Garota Ambulante

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você. O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Fonte: Socorro eu cresci

Achei lindo este texto... Adorei este blog Socorro eu cresci. O título dele é muito bom. Realmente, socorro eu cresci. Hoje minha mãe disse que acabei de fazer 16 anos. Sendo que eu tenho 20. Mas todo mundo que olha pra mim diz que eu tenho 15. Quer dizer que eu envelheci um ano. Quem sabe no ano que vem não venho a ter 20?
A idade está em nossa cabeça. O tempo, também. Quero apenas aprender no ano que vem. Aprender inglês. Aprender sobre maquiagem. Aprender a viver. A continuar a sonhar. A crescer sem medo de ser feliz, sem medo do futuro, sem medo de envelhecer e manter a criança que existe dentro de mim sonhando e brincando.


Esta imagem também é muito linda, mesmo parecendo triste, é linda.

Esperar

Por Juliana.B


A cada dia mais me convenço e mais estou disposta,
a esperar por alguém que espera por mim.
Não adianta buscar, quem a gente quer,
porque a vida vai se encarregando de nos trazer quem nos merece.

Fonte: Socorro eu cresci

Céu azul acima das nuvens



Acima das nuvens sempre existe um céu azul e nada será ruim para sempre!

Malditas lágrimas

Por Andy Rodrigues


Tudo o que sonhou, planejou, tentou fazer, TUDO isso foi por água abaixo. Torce pra que tudo de certo e no fim o que resta pra ela? Nada. Um NÃO em alto e bom tom, para que todos possam ouvir. E o que você faz? O que ela faz? CHORA. Como uma criança que faz birra. É fácil falar, mas ela viu seus planos caírem um a um diante de seus olhos e não pode fazer nada, só olhar enquanto o que mais desejava se esvaia de suas mãos como se fosse mentira, SURREAL. Daí ela passa a não acreditar mais em nada ou pelo menos é o que queria. Ser CÉTICA não ter escrúpulos, não ter que deixar as malditas lágrimas caírem enquanto o que ela mais deseja é gritar e brigar com o mundo e, no entanto são a sua única forma de demonstrar o que sente sua fraqueza, sua maldita vontade de que amanhã tudo isso não passe de um sonho mal interpretado.

Fonte: Socorro eu cresci

Era só um sonho

Por Valentina


Acordei. De novo. Mas uma vez, eu sonhei com aquele garoto que eu não sabia quem era e não tinha idéia de como veio parar no meu subconsciente. Era estranho. Nos meus sonhos, ele aparecia sempre na mesma posição. Olhava para mim, como se esperasse alguma coisa. Uma das mãos ficava no bolso.Não tirava nunca. Eu corria desesperadamente atrás dele, mas não me mexia. Não avançava nem retornava, apenas corria em uma esteira imaginária, tentando alcançá-lo. Por mais que tentasse, não conseguia me levantar. Então ele sumia e eu acordava sempre á 1 hora e 13 minutos. Mas, afinal, não devia ser nada. Muitas pessoas têm sempre o mesmo sonho. Voltei a dormir e só acordei novamente de manhã. Como de costume, me arrumei e fui para a escola. A pé, claro. Fui pelo caminho mais curto,como de rotina. Passei pela padaria do seu Jorge, pela papelaria da Sra.Feck e pelo supermercado Grott. Esse último sempre me chamava atenção. Não o supermercado em si, mas o caminho ao lado. Nunca o havia seguido para ver aonde dava, mas sempre tive curiosidade. Não sei por que, mas hoje especialmente o fiz. Iria matar aula, mas e daí? O caminho de longe parecia seguro e amplo, mas depois foi tomando mais característica de uma ilha. Pensei em voltar, mas decidi avançar. A trilha começava a ficar mais fechada, mas eu continuava... De repente, ouvi um som. Uma música. Ela vinha de um lugar que se destacava do restante da floresta em que a trilha tinha me metido. Era como uma clareira, com apenas uma pedra no centro. Uma pedra grande o suficiente para servir de banco. Passei os olhos em tudo e nada me despertou lembrança alguma. Até que vi quem estava na pedra. Era ele. O garoto que me acordava todas as noites. Moreno, o rosto perfeito. Ele era mais alto que eu, tinha lindos olhos castanhos e o maxilar definido. Exibia um sorriso tímido no rosto.
- Oi. – disse, tímido. – Deve me reconhecer de algum lugar. Sou Matheus.
Eu não conseguia acreditar. O garoto dos meus sonhos, parado na minha frente. Fiquei paralisada. Sentia dentro de mim um aperto forte no coração. Sentia-me feliz, acima de tudo. Como se esperasse por aquele momento em minha vida toda. Olhei para baixo, tímida. Vi meu relógio. 1 hora e 13 minutos. O susto foi tão grande que dei um pulo pra trás. Percebi que ele tinha sumido. O garoto tinha sumido! No seu lugar, apenas um lápide no chão. Cheguei mais perto, gelada de medo. E li os dizeres que eu mais temia. “Matheus Jefferson, 17 anos. Descanse em paz.” Desmaiei. Acordei no meu quarto. Era outro dia, de manhã. Logo pensei que era tudo um sonho. Outro sonho estranho. Na escola, sentei-me na classe quieta.
– Temos um aluno novo. – disse a professora. – Por que não diz o seu nome?
– Matheus Jefferson – ele disse, com uma mão no bolso.

Fonte: Socorro eu cresci

Musical: O Cravo e a Rosa - Sempre te Amar


Se algum dia eu voltar a ser feliz
Que dure um pouco mais de um segundo
Que eu seja aceito assim por todo mundo
Que eu possa fazer tudo que eu não fiz
Se algum dia eu terminar de sofrer
Que eu possa ter um céu ensolarado
Que eu possa amar quem for meu namorado
Que eu consiga lembrar de não crescer
E se o meu jardim florir
Se a brisa assoprar
Eu vou lembrar de você meu querido
E se o sol ressurgir
Se o pássaro cantar
Eu vou pra sempre, sempre te amar
Se o meu coração voltar a palpitar
Eu vou pegar carona com as abelhas
E vou pintar seu nome nas estrelas
Com meu regador de amor vou te molhar
Se eu conseguir voltar a respirar
Prometo minha vida será tua
Prometo te dar de presente a lua
E verás o meu sorriso então brotar
E se o meu jardim florir
Se a brisa assoprar
Eu vou lembrar de você meu querido
E se o sol ressurgir
Se o pássaro cantar
Eu vou pra sempre, sempre te amar
E se a chuva cair
Se o frio congelar
Meu coração se aquecerá contigo
Se arco-íris colorir
Se o mundo desabar
Eu vou pra sempre, sempre te amar
E se a chuva cair
Se o frio congelar
Meu coração se aquecerá contigo
Se arco-íris colorir
Se o mundo desabar
Eu vou pra sempre, sempre te amar
Eu vou pra sempre, sempre te amar
Eu vou ficar sozinha e te esperar

Fonte: Youtube

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A vida é assim...

Como é estranho as coisas. Uma hora estou feliz, em paz, parecia que a qualquer momento eu fosse embora desde mundo. Noutra, fico sentindo um vazio, um aperto no coração totalmente sem sentido. O que acontece? O que muda nesse meio tempo entre estar feliz e em paz ao vazio e melancolia?
Será que era uma paz interior falsa? Uma felicidade ilusória? Algo provisório que de repente se dissipou? Como Clarice Lispector diz que a Felicidade é clandestina de nossas vidas. Talvez ela seja mesmo.
É por isso que não gosto de ir em balada. Balada é que nem droga. Você fica feliz enquanto está lá, usufruindo-a, mas quando chega em casa, você desaba. Percebe que tudo aquilo não passou de uma ilusão. Uma felicidade falsa e momentânea. Que acaba quando você chega em seu quarto e percebe que sua noite parece nunca ter existido.
Hoje, tenho tido muitos pensamentos de morte. É estranho... Quer ver quando estava escrevendo os cartões de natal para as pessoas que trabalham comigo. Parecia que eu estava dizendo adeus. Mas não é o fim, nos veremos de volta semana que vem e ano que vem.
Estou com aquela sensação de que nada é real, novamente. Talvez seja por isso. Olho os carros, a chuva, as pessoas, o computador... Mas tudo parece irreal e distante. A vida é muito louca e estranha.
Estou aprendendo a criar sem precisar da melancolia para isso, apesar que estou num meio termo, nem melancólica e nem feliz. Apenas normal. Talvez em um estado de equilíbrio de consciência.
Mudando de assunto...
Estava terminando de ler o livro "O poder dentro de você" da Louise L. Hay, li um trecho de uma das pregações muito lindas de Emmett Fox que dizia o seguinte:
"Não existe dificuldade que o amor não consiga vencer. Não existe doença que o amor não consiga curar. Não existe porta que o amor não consiga abrir. Não existe abismo que o amor não consiga transpor. Não existe muralha que o amor não consiga derrubar. E não existe pecado que o amor não consiga redimir. Não importa a profundidade do problema. Não importa o quanto ele pareça insolúvel. Não importa como parece distante a solução. Não importa a gravidade da situação. Não importa o tamanho do erro. Um pouquinho de amor dissolverá tudo. Se você der amor, poderá ser a pessoa mais feliz e poderosa do mundo."
Então, ame-se! Ame-se profundamente! Perdoe as pessoas que te fizeram mal no passado, guardar rancor (que é uma raiva enrustida) só faz mal a você e a mais ninguém. Sonhe! Brinque! Brinde a vida! Fique perto das pessoas que você ama! Dê um abraço apertado na primeira pessoa que você ver na frente ou naquela pessoa, que é especial para ti. Diga a alguém que você a ama! Reze. Medite. Coma. Tome um banho demorado. Se arrume, mesmo que seja pra ficar em casa. Escreva. Leia. Converse com aquela pessoa que faz muito tempo que você não conversa. E principalmente, não espere ano que vem para fazer mudanças ou o próximo mês ou o ano novo, pois esse dia pode não chegar.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Workshop: Moving Moment

O Workshop: MOVING MOMENT – O MOMENTO TOCANTE DAS COISAS, DO MATERIAL, E DA ATMOSFERA NO TEATRO PLAYBACK, realizado nos dias e 11 e 12 de dezembro de 2010 foi uma experiência muito gratificante para os integrantes da Dionisos Teatro, assim como para os demais participantes, atores e bailarinos da região.
No workshop foram trabalhados aspectos da fisicalidade do ator e técnicas do teatro playback, ao final foi realizada uma apresentação experimental, em que foram testadas as novas técnicas aprendidas. Após a apresentação Paulien Haakma fez uma breve avaliação com os participantes de suas próprias experiências.
Paulien Haakma, ministrante do workshop, coloca que: “Trabalhar com os atores e músicos da Dionisos Teatro, foi para mim uma experiência muito bonita e especial. O grupo de atores e músicos são muito experientes e dedicados ao trabalho com teatro playback.”
Paulien Haakma

Fonte: Newsletter da Dionisos Teatro

Foi muito bom fazer este workshop. Aprendi coisas não só para o teatro como também para a vida.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Um pouco de Clarice

"Foi, pois, assim que o explorador descobriu, toda em pé e a seus pés, a coisa humana menor que existe. Seu coração bateu porque esmeralda nenhuma é tão rara. Nem os ensinamentos dos sábios da Índia são tão raros. Nem o homem mais rico do mundo já pôs olhos sobre tanta estranha graça. Ali estava uma mulher que a gulodice do mais fino sonho jamais pudera imaginar. Foi então que o explorador disse, timidamente e com uma delicadeza de sentimentos de que sua esposa jamais o julgaria:
— Você é Pequena Flor." - Clarice Lispector (trecho de “A menor mulher do mundo”, conto preferido de Luis Fernando Verissimo, do livro “Clarice na cabeceira”).

"Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente." - Clarice Lispector (do livro "Aprendendo a viver", que reune várias frases de obras da autora junto com imagens de sua infância, juventude e maturidade).

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Divulgando - Blog SIOP

Boa tarde!

Venho divulgar o blog do SIOP - Serviço de Incentivo às Organizações Produtivas, da Gerência de Gestão e Fomento à Geração de Renda da Secretaria de Assistência Social - SAS, da Prefeitura Municipal de Joinville - PMJ, pois muita gente pode não conhecer este serviço ou, às vezes, nem sabem que ele existe ou por que ele existe. E como estou fazendo meu estágio ali, vou apresentar o blog que criei e que tento atualizá-lo periodicamente com tudo o que anda acontecendo no Serviço. Claro que quando meu contrato acabar, outra pessoa se encarregará de atualizá-lo, então não deixem de prestigiar o trabalho tanto das funcionárias públicas que dão duro pra servir a comunidade da melhor forma possível como das usuárias do serviço que se dedicam ao aprendizado para depois poderem produzir e gerar renda em grupos de produção. O Serviço atende preferencialmente as pessoas que recebem o bolsa família.

Leiam e comentem!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Futuro

Está chegando o final de ano e todo mundo começa a analisar as metas cumpridas ou não, e preparam a nova lista para 2011. Como eu não sou diferente. Vou começar a analisar o ano de 2010.
As metas que escrevi aqui no blog, foram:
1) Estágio na área de design de moda - realizado;
2) Modelar e costurar bolsas e acessórios - ainda não;
3) Ler mais livros do que 2009, ou seja, mais de 20 livros - por enquanto li 10 livros e estou lendo outro;
4) Manter as coisas organizadas, desde minha agenda acadêmica (no sentido de sempre realizar os trabalhos com antecedência) ao meu quarto (para mantê-lo arrumado) - teve horas que sim e horas que não;
5) Continuar as aulas de YOGA que iniciei no final de 2009 - continuei, mas parei depois das férias de julho;
6) Fazer terapia - iniciei em novembro arteterapia;
7) Escrever “Um Reino Chamado Christal” - nem toquei nele;
8) Continuar atuando e participando da Companhia de Teatro da Univille - realizado.

Metas para 2011:
1) Montar marca familiar;
2) Dedicar-me ao TCC;
3) Ler no mínimo 20 livros;
4) Fazer uma atividade física;
5) Fazer um curso de maquiagem;
6) Fazer um curso de inglês britânico;
7) Quando terminar o estágio, trabalhar como vendedora numa loja no shopping até encontrar um emprego numa fábrica/industria na área de moda.

Hobbies:
Qualquer movimento artístico, seja teatro, pintura, literatura.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010


"Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (...) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca". (Antoine de Saint-Exupéry, in 'Cidadela')

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Leve brisa ou forte ventania

Minha amiga Gabriela escreveu em seu orkut: "Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar" Clarice Lispector. Achei esta frase muito linda! Adoro a Clarice Lispector, ela consegue colocar em palavras escritas sentimentos e pensamentos abstratos que não consigo, apesar de tentar. Mas é tentando que um dia se consegue.

sábado, 20 de novembro de 2010

Inspirada ou apenas...

Amigos Secretos

Estava fazendo uma limpa na minha pasta do computador e encontrei este texto que achei maravilhoso sobre amizade. Curtam-no.

Amigos Secretos

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade. E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.
Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não têm noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

Autor Paulo Sant'Ana

Limpeza e trabalhos

Estou faz um tempo limpando tudo. Limpando minha caixa de e-mails, limpando meu orkut. Nas férias que limpar meu quarto. Jogar fora tudo o que não presta mais e tudo o que eu não quero mais. Fazendo AQUELA faxina na alma! Já estou até aprendendo a me desapegar das coisas... Uma grande evolução pessoal. E eu sempre busquei, busco e continuarei buscando isso. EVOLUÇÃO PESSOAL. Ser uma pessoa equilibrada e sabia, além de elegante, confiante e sorridente (alegre saltitante, hahahaha).
Apesar dessa limpeza estar me fazendo bem, acontece algo bem triste ontem. Mas espero que possamos superar tudo isso e seguir em frente, pois tudo dará certo com confiança e pensamento positivo! Sei que é difícil, mas eu tenho que tentar, não é mesmo? Não dá para chorar ao leite derramado, apesar de eu não conseguir, pois sou uma chorona e muito sentimental, hehehe. Mas a vida segue em frente. Como diz a Dori: "Continue a nadar, continue a nadar". Além do mais, fazer os trabalhos da faculdade distrae bastante.

sábado, 16 de outubro de 2010

Post 120

Achei lindo este texto. Estava procurando por outra coisa, mas acabei dando de cara com ele. É meio deprimente, eu sei, e totalmente fora da minha realidade atual, pois estou completamente apaixonada pelo meu amorzinho.

Eu sempre sonhei com um amor antigo... um amor amigo... com um tremendo e infinito carinho...
Mas um amor assim só mesmo em sonho, pois na real, o que comanda um casal é só a relação sexual...
Eu queria viver diferente, ser tratada como gente, gente que sente e que se fosse correspondida... viveria de uma forma envolvente...
A maioria das pessoas não são bem assim... elas são até ruins e em seus atos carnais, usam a palavra amor, sem ter a conscientização que para fazer amor... é preciso sentir amor... sentir emoção e só se emociona o coração, se antes for vivida uma paixão...
E a cada dia que passa, a realidade me arrasta a uma triste conclusão: transa... relação... tesão e que se dane o coração...
Pra mim não da pra viver assim... sou romântica, sou carente, sou como pouca gente, que sabe o verdadeiro sabor de quando se vive um verdadeiro amor...
Tento de todo jeito... consertar esse meu defeito... mas dentro do meu peito... bate mais forte meu coração... e eu vejo com grande decepção que não existe emoção... acho que esse mundo... não é o meu não...
Eu queria ser amada com paixão, mas na real que decepção... o que comanda esse mundão é só o tremendo tesão...
Carinho quase não se tem e o que é que há afinal? Vivemos em um mundo animal, penso até por vezes que eu é que não sou normal...
E em minha cabeça brota... sou uma tremenda idiota... e diante de tanta coisinha... devo me assumir "sozinha"!!!
E o que fazer com o meu coração???
- Ora...fechar sua portinha e viver pra sempre sozinha!!!

Célia Piovesan

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Limpando o orkut

“Sei muito bem o que é, desde que ninguém me pergunte; mas quando me pedem uma definição, fico perplexo” Snt. Agostinho.

"Pensar em uma pessoa que se ama é rezar por ela" (Santa Teresinha do Menino Jesus)

Quando digo o que eu sou, de alguma forma eu o faço para também dizer o que não sou. O "não ser está no avesso do ser", assim como o tecido só é tecido porque há um avesso que o nega, não sendo outro, mas completando-o. O que não sou também é uma forma de ser. Eu sou eu e meus avessos. (Quem me roubou de mim?, pg 22. Fábio de Melo)

Teu Segredo
Flores envenenadas na jarra. Roxas azuis, encarnadas, atapetam o ar. Que riqueza de hospital. Nunca vi mais belas e mais perigosas. É assim então o teu segredo. Teu segredo é tão parecido contigo que nada me revela além do que já sei. E sei tão pouco como se o teu enigma fosse eu. Assim como tu és o meu.
Clarice Lispector

sábado, 18 de setembro de 2010

A vida é insana

Às vezes, entro num estado de consciência em que este mundo não me parece real. Chamo-o de estado de consciência de puro equilíbrio. Onde nem a razão e nem a emoção interferem nesse processo. É apenas eu e o mundo e a consciência de que nada existe e tudo também existe.
É um momento só meu, onde estou em contato com meu eu-criador, minha essência, onde o tempo e o espaço não importam e parecem não existir ou diminuem seu ritmo.
Vou a um lugar onde a arte não é condenada, nem julgada, nem criticada, e sim, apreciada. É u mundo inteiramente meu e nosso. Onde a arte de criar é livre.
A vida se torna bela nestes momentos, pois é tranqüila, serena e não há males. Não há corrupção, problemas, ritmo acelerado. Há apenas soluções e o ritmo do universo.
Não se precisa ter pressa para se chegar, aonde se quer chegar. O tempo é amigo, daqueles que sabem lhe dar valor e que não tem medo de que mais uma vez tenha que voltar ao ponto de partida.
Um ponto de partida é tudo que se precisa para criar, para soltar a louca imaginação. Para sonhar insanamente. Para viver e amar intensamente.
A vida é uma coisa louca. Gostosa e sem explicação. É mágico. Fantástico! Algo sobrenatural. O sentido da vida? É irracional.

domingo, 29 de agosto de 2010

Às vezes o amor que se dá pesa

"(...) farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz..." Clarice Lispector.
Eu fazia como Clarice Lispector relata neste trecho. Eu exigia demais dos outros e acabava pesando o amor que eu dava a elas, pois vivia discutindo sobre coisas que de certa forma não importavam, o que importava era estarmos juntos, aproveitando o momento e curtindo um ao outro. Curtindo as conversas, as brincadeiras.
Esta semana eu havia esquecido isso. Mas ainda bem que foi com uma pessoa muito especial, pois ela me abriu os olhos e me falou que estava exigindo demais dela. E esta pessoa, eu amo demais para querer magoá-la.

terça-feira, 13 de julho de 2010

A felicidade vem à galope

As coisas acontecem quando tem que acontecer. Isso é fato! E são sempre no tempo em que elas devem acontecer. Não devemos tentar apressar as coisas, porque acabamos não dando valor a elas. Elas devem acontecer mais lentamente, para que possamos saboreá-la com muito mais gosto.
Pois bem! Devo ser a pessoa mais sortuda do mundo ou pelo menos a mais feliz, porque nunca ganho nada em sorteios, mas em compensação ganho em outras coisas. Esta semana está sendo maravilhosa, as coisas parecem estarem dando certo. Encontrei um amor e fui chamada para estagiar. As coisas finalmente estão se acertando.
Duas coisas que eu queria tanto se realizaram. A felicidade veio à galope. Isso dá medo. Está acontecendo tudo muito rápido. Mas, bom, tenho que deixar a vida me levar e parar de pensar tanto. Pensar já me impediu de fazer tanta coisa. Claro, que sei que, às vezes, devemos pensar e planejar. Também não vou parar de pensar e ser uma irresponsável completa. Mas também não quero pensar tanto, porque senão eu acabo não fazendo as coisas que queria fazer por medo (que o pensamento acabou criando de tanto pensar).

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Férias pra que?

Estou vendo que estas férias serão pequenas e curtas demais para o montão de coisas que quero e preciso fazer. Já estou ficando estressada só de pensar. Até o final do ano eu enlouqueço de vez. Ainda mais com o TCC vindo aí. Só de imaginar já começo a me tremer inteira.
Alguns AMADOS professores passaram trabalhos para fazer nas férias. Como se já não bastasse a minha lista de coisas pra fazer estar enorme, devo acrescentar trabalhos da universidade, sendo que pensei em estar livre pelo menos por duas semanas. Sim, só temos duas semanas sem aula e eu tenho que pensar em fazer trabalhos para o próximo bimestre. Só o que me faltava. Fora que no começo da semana pensei que não teria mais aulas esta semana (somente na terça-feira, para a prova de marketing) e descubro que vou ter aula normal TODOS os dias.
Eu precisava de férias e não mais um monte de ocupações!
Mas enfim, é a vida! As coisas estavam indo bem demais pra ser verdade! Fora que estou ficando gripada. Ninguém merece! Odeio ficar doente, só me dá muita preguiça, vontade de só ficar na cama e de dormir.
Agora eu me pergunto, férias pra que, não é? Se as pessoas tivessem noção de que o ser humano quando está desmotivado ou cansado ou estressado, precisa de umas férias. Depois que ele volta, ele está muito mais disposto, mais interessado, mais produtivo. Eu sou partidária de algumas férias (no período de festas no final do ano) e no meio do ano para dar uma levantada nos ânimos.
Bom, desde o ano passado eu não tive férias descentes em julho, então... Já estou me acostumando com isso. Como diz Marina Colasanti "a gente se acostuma"!

terça-feira, 6 de julho de 2010

Problemas

É fato. As pessoas não querem ler sobre os problemas dos outros. Elas já tem os seus e existe muitos problemas na televisão. Nesse caso, vou parar de baixar o santo (pelo menos para as coisas tristes e deprimentes, ou situações de raiva e frustração). Parece que é assim que escrevo. Posiciono-me e começo as escrever sem parar. Parece que estou recebendo uma entidade, mas não estou. São as idéias circulando em minha mente. Os sentimentos fervilhando, chegando ao ponto crítico de ebulição. Então, elas saem com muita facilidade.
Não sei se as pessoas entendem que é coisa de momento, é um desabafo para aliviar esses sentimentos para me sentir melhor e bem. Fora que não somos criaturas, seres perfeitos, às vezes estamos feliz, às vezes tristes, às vezes queremos ficar sozinhos, às vezes acompanhados, às vezes precisamos gritar, às vezes calar, às vezes sonhar, às vezes viver a realidade, às vezes correr, às vezes ficar parado e assim sucessivamente.
Ah! Graças as minhas amigas da faculdade, através do blog de moda delas, Aprendendo Moda, descobri um blog maravilhoso. A garota é parecida comigo, ou melhor, ela é mais ou menos como eu queria ser. Mais ou menos, porque ela se define: "Sou antisocial, não gosto de interagir, não gosto de falar o tempo todo, não gosto de samba, futebol ou praia, ou seja... Sou uma brasileira FAIL". E eu sou justamente o contrário. Sou mais social (claro que, às vezes, gosto de ficar sozinha com meus pensamentos), gosto de estar com pessoas. Gosto de falar, mas AMO escutar. O que quero ser é mais criativa, fazer colagens, viver numa casa parecida com a dela, com flores, tijolinhos a vista, toda fofa e aconchegante. Bom, o blog dela é Hello Lolla. Espero que vocês curtam assim como eu curti.

domingo, 27 de junho de 2010

As melhores mudanças são lentas

As melhores mudanças são lentas
autora: Carina Freitas da Rosa

Estou começando a baixar a guarda.
Estou começando a retirar as primeiras pedras do muro.
Estou tirando os primeiros espinhos de meu manto.
Estou num processo lento, mas eficaz de mudar,
deixar que os outros me conheçam melhor
e eu os conheça melhor também.

Abrindo meu coração

Às vezes, sinto-me como um fantasma. Parece que as pessoas não me vêem. E eu tenho que dizer: “Oi, eu estou aqui”. Às vezes me canso e entrego-me a este sentimento, como se eu fosse realmente um fantasma. Alguém que ninguém vê, ninguém nota ou sente falta, que não faz muita diferença.
Para ser sincera, duvido que as pessoas me conheçam. E nem fazem muita questão de conhecer. Alguns pensam que sou baladeira, por estar sempre agitando para fazermos algo (sair para comer, fazer festa, etc.). Mal sabem eles que faço isso para não ficar sozinha. Porque se eu ficar sozinha, sei que me entregaria a uma tristeza profunda e estou tentando sair dela. Faço-me de forte, mas sou fraca. Se eu fosse realmente forte, não estaria escrevendo estas palavras e nem derramando lágrimas em silêncio ao digitá-las.
Quantas vezes eu quis chorar e segurei-me. Quantas mentiras eu disse quando não agüentava mais segurar as lágrimas teimosas e insistentes. Vivo numa farsa muito bem elaborada por mim. Minto a todos descaradamente. Sou uma pessoa infeliz por isso, porque assim, não minto apenas aos outros minto a mim também. Tento apenas mostrar meu lado forte, meu lado cruel, meu lado bom, ingênuo e bobo. Mal sabem as pessoas que sou completamente diferente quando estou sozinha. Não mostro minhas fraquezas a elas. Não mostro meus medos, minhas inseguranças, minhas lágrimas, meus problemas. Guardo muita coisa apenas para mim. Este é um fardo só meu. É o meu anel do poder, e deve existir apenas um portador. Eu. Além do mais, as pessoas já têm seus próprios problemas, para que levar os meus também? É cada um por si e Deus por todos! E viva o capitalismo! (irônico, não?)
Afirmo agora o que já havia dito uma vez, num exercício de teatro em 2008: "é mais fácil receber críticas do que amor". Críticas, nós já estamos acostumados a receber, mas amor verdadeiro, não.

O que está em meu coração?

Sofro muita pressão para estabelecer uma relação a dois, por parte de familiares. Sei que eles querem o melhor pra mim. Mas isso machuca, deixa-me pra baixo, porque não consigo corresponder às expectativas deles. Meu coraçãozinho ama a todos de formas diferentes. Cada amor é único e especial para mim. Ainda não amei ninguém de uma forma mais especial que os outros. Talvez eu tente forçar demais por causa da minha família. Assim não conseguindo nada. Só me ferir.
Fechei-me há um tempo para o resto do mundo. Entrei dentro da minha bolha, do meu mundo. Chorava todos os dias, trancada sozinha em meu quarto. Comecei aos poucos a tentar voltar à realidade onde todos vivem, apenas com a força de vontade e uma centelha de esperança que a qualquer ventinho pode se apagar. É difícil viver nesta inconstante onda de sentimentos. Não quero me envolver com alguém neste estado. Não me sinto segura e nem preparada pra isso, pois vivo numa montanha-russa. Mudo muito rapidamente. Adapto-me as ambientes com muita facilidade e me acostumo com as situações em que vivo.
Pensei que estava curando. Que as cicatrizes estavam sarando. Talvez nunca sare. Talvez seja melhor assim. Talvez seja melhor ficar sozinha.
Às vezes, dá vontade de pedir para o mundo parar para que eu possa descer. Não agüento mais brincar neste gira-gira.

"A pior maldade é aquela que as pessoas fazem sem saber que estão fazendo" Carina Freitas da Rosa

Como se começa?

O começo sempre é muito ruim, pelo menos pra mim. É quando meus medos não permitem que eu haja naturalmente, que eu não faça coisas que tenho vontade de fazer. Como dar um beijo na boca de alguém que eu gosto muito, mesmos que seja só um beijo de amizade. Ou até mesmo dar um abraço. Às vezes, tenho vontade de dar aquele abraço em alguém, mas não do por vergonha. Mas vergonha do que? Vergonha do sentimento que tenho pela pessoa? Por que sentimos vergonha em demonstrar nossos sentimentos? Não deveria ser assim. Sei que é uma questão de herança cultural. E que é difícil quebrar esses paradigmas.
Resolvi este ano tentar quebrar certos paradigmas. Quero crescer. Quero evoluir. Não sentir mais medo de ser feliz, do que os outros vão pensar. Quero poder chorar abertamente, quando me der vontade. Quero poder gargalhar e sorrir quando me sentir feliz, sem me importar ou me incomodar com os comentários alheios. Quero poder ter amigos do sexo oposto sem que as pessoas comecem a dizer que são meus namorados ou que estou apaixonada por eles. Quero ter amizades sem interesse. Quero poder me abrir para os outros, mas eles não me permitem. Não me deixam ser quem sou.
Quero saber consolar o próximo. Quero poder ajudar as pessoas de uma forma especial, iluminando a vida delas. Quero viver sem saber o amanhã. Quero amar. Quero compreender. Quero sonhar. Viver do meu jeito. Não quero que os outros dêem palpite na minha vida. Quero caminhar com minhas pernas. Claro que tenho um ritmo muito mais devagar que as outras pessoas. É minha música que está tocando e a sigo conforme meu ritmo.
Quero aprender mais sobre mim e sobre as pessoas. Correr por aí. Ser eternamente criança. Fazer a diferença. Ser conhecida por fazer pequenas coisas de grande valor. Quero emocionar, tocar o coração das pessoas. Transformar o meu mundo num lugar mágico de se viver.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Palavras de Fernando Pessoa

Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.

Fernando Pessoa


Enquanto não superarmos
a ânsia do amor sem limites,
não podemos crescer
emocionalmente.

Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um.

Fernando Pessoa

Palavras de Pablo Neruda

Saudade

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Pablo Neruda

O Amor e o tempo por Carlos Drummond de Andrade

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade

AS SEM-RAZÕES DO AMOR

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

CORTAR O TEMPO

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.

Carlos Drummond de Andrade

domingo, 20 de junho de 2010

2010

Vi no perfil de um amigo algo muito interessante. E resolvi fazer a mesma coisa, escrever uma lista com algumas coisas para eu fazer em 2010, não sendo obrigatório conseguir fazer tudo.

Como transformar um ano de merda no melhor ano da minha vida (versão 2010):

[ ] Passar direto na universidade
[ ] Trabalhar para ganhar meu próprio dinheirinho
[ ] Ter mais amigos homens
[ ] Ler pelo menos 20 livros
[ ] Amar e ser amada
[ ] Terminar de escrever pelo menos um livro
[ ] Manter as coisas em ordem (quarto, diários, trabalhos...)
[ ] Dar 3 festas (julina, aniversário, halloween)
[ ] Participar de concursos de moda
[ ] Enfrentar pelo menos um medo
[ ] Ser mais paciente com a minha amiga Fernanda Ortiz
[ ] Aplicar em mim os princípios do Personal Stylist
[ ] Atualizar meu site oficial

sábado, 19 de junho de 2010

Autobiografia como terapia

Estou seguindo o conselho do site personare, onde recebo meu horóscopo de acordo com meu mapa astral e comecei a fazer um trabalho de autoajuda comigo mesma. Estou escrevendo minha autobiografia. Não sei se um dia o publicarei, porque está muito ruinzinho. Mas está me ajudando pra caramba! Talvez com uma boa revisora, resolva o problema. Mas por enquanto é só para me ajudar a superar traumas que, às vezes, nem percebo que tenho. Muitas coisas que estou escrevendo é de coisas que minha mãe (e outras pessoas também) falou sobre mim quando eu perguntava como eu era quando criança. E outras é claro são de lembranças minhas. Meio apagadas e confusas, mas enfim.
Bom, é isso!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tema da coleção da minha equipe

Esta poesia escrevi como forma de colocar o tema da coleção que minhas amigas e eu estamos desenvolvendo nas aulas de projeto de moda II.

Jardim secreto da alma
por Carina Freitas da Rosa

Sou o que sou.
Sou a essência.
Sou a criança que chora.
Sou o velho que ri.
Sou a beleza de uma flor seca.
Sou a lembrança das cartas
amareladas com o tempo.
Sou os dias que passam,
os aromas que mudam,
os lugares que transformam.
Sou a recordação dum momento,
a saudade que brota no peito
e que escrevem sua história.
Sou o jardim secreto de sua alma.
A maleta, o baú, a caixinha
abertos em tempos em tempos
para despertar sentimentos adormecidos.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Hahahahaha... Hilário!

Estava dando uma olhada nos blogs que sigo e percebi que nunca havia lido um texto sequer do blog Caras como eu - romance em conteúdo expresso. Daí, estava dando um olhada nos melhores textos e me deparei com um que é eu escrachaada, Por que tu não tem namorado. Também li o texto O que ela queria realmente, muitas mulheres agem assim. Eu também, de certa forma. Sou medrosa, confesso! Quero (dizer ou fazer) uma coisa, mas não digo! Talvez seja por isso que os homens nos acham tão complicadas e neste ponto devo dar razão aos pobres coitados. Nós, mulheres, não somos fáceis! Assim, vale qualquer coisa romântica para conquistar a pessoa amada.

terça-feira, 15 de junho de 2010

A vida

A vida é rodeada de incertezas. Desde o momento em que acordas pela manhã, já estás na incerteza de saber o que aguarda o seu dia. Se sofrerá algum acidente, se presenciará um assalto ou se receberá uma notícia não muito agradável, não sabemos, não temos a certeza de como será nosso dia. Uma breve noção, pode ser. Mas não sabemos com quem casaremos ou com quem ficaremos até o fim de nossa vida. De repente, podem se divorciar. A vida é uma constante incerteza. Penso que é isso que a torna tão especial e divertida. Não saber o futuro, trás ao presente um sabor diferente. Não sabendo o que acontecerá, só nos ajuda ainda mais a aprender lições valiosas para a vida. É importante a incerteza, assim como é importante ter certeza. A vida é feita de dualidade. Dos opostos que se equilibram numa perfeição divina.

sábado, 12 de junho de 2010

O homem que toda mulher sonha em ter

Como é dia dos namorados, escreverei sobre o tema amor, a incompreensão dos homens ao universo feminino e a idealização do homem perfeito que toda mulher sonha em ter.
Os homens sempre dizem que não entendem as mulheres. O que elas gostam? Bom, nesta postagem vou dar algumas dicas sobre qual é o homem perfeito na visão das mulheres.
Mulheres gostam de homens: cultos, gentis, românticos (que dêem flores, chocolates, enviam cartinhas, etc), cavalheiros, que saibam cozinhar (é muito charmoso e sexy um homem na cozinha).
O pior, é que a maioria dos homens, aqueles que se fazem de machões (que no fundo, no fundo, são uns idiotas), pensam que esse tipo de homem só poder ser uma bichona. E cada vez que uma garota suspira por um Edward (da saga Crepúsculo) ou por um senhor Darcy (em Orgulho e Preconceito ou em O Diário de Bridget Jones), nada de dizer que ele é gay para se fazer de machão. Isso só vai atestar que você é um arrogante insensível que não compreende as mulheres e de fato não compreende mesmo, se pensa que esse tipo de homem só pode ser gay. Porque existem muitos poucos homens que são assim. Esses são raríssimos! E toda noite alguma mulher, em algum lugar, está sonhando e suspirando por esse tipo de homem. Às vezes, ela até se conforma e casa com um machão. Mas ela dorme pensando neste homem gentil e delicado (é delicado e não afeminado! que fique bem claro isso!).

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Elegância de comportamento

Nesta minha centésima postagem (uhul! \o/), dedicarei-me a relatar sobre a elegância de comportamento. Por que escolhi tratar sobre isso? Porque é uma coisa que venho tentando trabalhar em minha pessoa. Quero ser elegante em meu comportamento diário. É uma elegância desobrigada. Que parte de mim. Um simples obrigado por uma gentileza. Um sorriso ao encontro de olhares. Elogiar mais do que criticar. Escutar mais do que falar (bom, isso eu já faço! adoro ouvir as outras pessoas, menos quando essa pessoa é uma amiga minha que só fala coisas negativas e que me irritam ou a minha irmã que só sabe reclamar). E quando falar, passar longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca. Ser uma pessoa que não sente prazer em humilhar as outras. Ou alterar a voz em qualquer situação. Ser pontual (eu sempre tento chegar na hora ou antes mesmo, mas, às vezes, acontece de eu não conseguir, o que eu não gosto). Não ser espaçoso demais. Não falar de dinheiro em papos informais. Se importar com os sentimentos dos outros. Oferecer ajudar, olhar nos olhos, conversar, ser simpático e verdadeiro. Ser tolerante e paciente. Saber expor suas opiniões de forma clara e coesa. Saber se controlar perante as diversidades da vida. Ou seja, ser sábio e inteligente.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Eu

Descobri que não sirvo para o mundo da moda. Não tenho boa memória e meu cérebro não funciona tão rápido quanto esse universo pede para que funcione. Reter tantas informações, não é o meu forte. Por isso escrevo minhas lembranças, porque, senão, eu acabo esquecendo. Talvez seja uma forma de autopreservação. Imagina se eu lembrasse tudo. Viveria reclamando, "ah, por que não fiz isso", "por que não fiz aquilo" ou "por que fiz isso", "por que fiz aquilo". Esqueço para não sofrer. É muito sensato isso, se fores pensar bem no assunto. Além de que, muitos no ramo da moda são meio que arrogantes, esnobes e estúpidos. Sinto-me mal perto dessas pessoas. Apesar de que existem algumas poucas pessoas que não são assim e tentam passar para o resto do mundo e principalmente a estudantes de moda, que devemos mostrá-la de uma outra forma, com um outro olhar. Mas está difícil!
Sou diferente das pessoas. Gosto de ser assim. Parece que sou aérea ao mundo a minha volta, mas ao mesmo tempo capto as coisas. As pequenas coisas. Uma borboleta, por exemplo. Divago, no meu próprio mundo e acabo ficando alheia ao resto. Não que eu seja avoada e irresponsável. Sou mais responsável do que muita gente. Sou bastante medrosa também. Mas este ano estou tentando mudar isso. Estou conhecendo outras pessoas. Pessoas interessantes ou nem tanto. Mas conhecendo. Deixando-os entrar em minha vida, deixando que me conheçam.
Adoro isso! Vencer meus medos internos. É uma aventura! Algo inusitado e diferente! E quando supero o medo, é uma conquista sem igual! Não tenho palavras para descrever o quanto é boa a sensação.
Mas devo confessar que antes da minha adolescência (ou aborrecência), eu era uma menina muito aberta a travar novos conhecimentos. Para mim, era muito fácil criar novos laços de amizade. Estou voltando a ser assim. Depois de uma adolescência conturbada, volto a minha essência.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Descobrindo-me um pouco mais

Hoje aprendi algumas coisas interessantes sobre mim. Como sempre. Aprendi que tenho medo de me relacionar com o sexo oposto, por causa do meu péssimo relacionamento com meu pai. Ele é muito de lua, sempre tenho medo de falar com ele, porque nunca sei quem eu vou encontrar. Se é meu pai divertido, paciente, calmo, conselheiro - o que ele é poucas vezes comigo e com minhas irmã e mãe. Ou se é meu pai grosso e mau-humorado que ele sempre é com sua família. Ele não aceita críticas e nem opiniões, e se dizemos que ele errou... Meu Deus do Céu!
O pior é que com os outros ele é tão legal! Bom, de vez em quando ele é legal mesmo. Mas diz pra ele que ele está errado pra ver se ele não fica uma ferra!
Com isso eu fico insegura com os homens, porque não sei o que esperar da reação deles em determinadas situações. Às vezes, brinco com meu pai e ele reage de forma grosseira, brigando comigo e, às vezes, ele reage na brincadeira também. Daí, eu fico confusa e com medo. Mas estou trabalhando isso. E o teatro está me ajudando bastante e o pessoal lá também.
Queria ter tantos amigos homens. No sentido de poder contar as coisas sabe? O que penso e sinto. Mas mal me abro com as minhas amigas mulheres, que tenho maior facilidade de conversar, imagina com homens. Fora que quando você começa a ser você mesma com os homens, eles começam a pensar que te amam, que estão apaixonados por ti.
Cara! Estava só começando a criar confiança neles e estava começando a me abrir. A vencer meus medos... Mas fazer o quê!? Talvez devesse ser mais sincera com eles desde o início, eu penso. Falar sem medo, dos meus medos. Mas isso seria ridículo! Falar uma coisa dessas assim que se conhece alguém. Nos primeiros contatos devemos conhecer o superficial da pessoa. O que ela gosta de fazer (ler, escutar música, ir ao cinema, ao barzinho com os amigos para conversar...), o que ela faz (trabalha, estuda, atividades extra-curriculares...), seus sonhos e objetivos (isso já é um pouco mais fundo), sua cor favorita (tons de roxo!! hauhauhauau), comida favorita (arroz, farofa, couve-flor, pepino, milho e agora brócolis), animal favorito (gosto de todos, não tenho nenhum, tenho medo! hauhauhaaua), onde mora, com quem mora... E muitas outras coisas! Depois vai conhecendo as opiniões, os pensamentos e sentimentos... E só então é que começa a se apaixonar, a amar! As pessoas pulam um pouco as etapas. Atropelam tudo. É por isso que existe tanto divorcio e separação, fim de relacionamentos. Nem se conhecem direito. Mas também pode ser por falta de diálogo. Todo relacionamento tem que haver diálogo, senão fica cansativo e desgastado. Fora que, como diz o ditado, um amor é uma amizade que pega fogo. Então, seu namorado, noivo ou marido, antes de tudo deve ser seu amigo. Mas olha quem está falando. Alguém que nunca namorou nesta vida, por sempre entrar em pânico cada vez que há a possibilidade de algo ficar mais sério.

domingo, 28 de março de 2010

Peço desculpas se te magoei

Ficaste tão distante de repente
Algo deve ter acontecido
Palavras erradas devo ter dito
Que te magoaram,
Mas sinto tanta sua falta
Não fazes ideia do quanto.

Talvez não tenha sido tão de repente
E eu não tenha percebido
O quanto você mudou
Suas prioridades são outras agora,
E eu ao invés de te apoiar,
Só te critiquei.
Não fiz por querer, entenda,
Só estava chateada contigo
E te falei coisas sem ao menos pensar.

Desculpa-me pela minha incompreensão,
Pela falta de apoio, por ser egoísta
E pensar mais em mim do que em você.
As coisas mudam na vida, eu sei,
Mas insisto em não querer ver,
Acabando por magoar as pessoas que amo.

Carina F. da Rosa

Semana do cão (emocionalmente)

Eu estava irritada a semana inteira. E como não gosto de perder a cabeça, controlei-me até a raiva passar. Estava difícil, mas consegui. Penso que não magoei ninguém. Consegui ser forte e consegui não ser grosseira. É que quando estou de mal-humor, eu acabo respondendo de forma grosseira, não que eu queira, mas é que eu estou com raiva e acaba transparecendo na minha voz. Assim, parece que eu fui grosseira.
Hoje, era pra mim e minhas amigas irmos no cinema juntas ver o filme "Lembranças" com o ator Robert Pattinson. Mas quando eu ainda estava na fila pra comprar o ingresso, a sessão se esgotou. Eu fui a unica que ficou sem ingresso. As três entraram. Fiquei bem chateada. Principalmente porque tentei entrar em contato várias vezes com elas pra ver se estava tudo certo, mas não consegui, só em cima da hora é que consegui falar com uma delas. Daí, já era tarde demais como puderam perceber.
Tentei não ficar triste. Tentei não ficar chateada com as minhas amigas, porque, o que elas tinham feito? Nada. Mas a gente sempre fica chateada, não adianta. Por mais que queremos, não conseguimos.
Bom, saí do shopping e ia indo pra casa da minha avó. Eu sabia que não estava em casa, mas eu tenho as chaves e assim eu poderia ligar pra os meus pais poderem me buscar, porque estou sem crédito no celular (pra variar!). Mas em frente ao prédio onde meus avós moram, surgiu-me uma idéia. Ir para o outro shopping assistir um outro filme. E lá fui eu. Ainda bem que tudo fica pertinho um do outro e pude fazer tudo isso a pé.
No fim das contas, consegui assistir ao filme "O fada do dente". Que me fez dar algumas boas risadas.
Claro que, minha vontade de chorar não passou. Mas não quero ser uma pessoa fraca que chora por qualquer coisa que aconteça, com qualquer pedra que encontre pelo caminho. Porque sei que ainda encontrarei muitas pedras pelo caminho. E muitos amigos ainda vão me magoar. Esta não foi a primeira e nem vai ser a última. Mas, como eu já disse: "o que elas tinham feito? Nada". Eu é que sou sempre a dramática. É, eu devo ser mesmo, mas é por isso que quero mudar. E por isso estou trabalhando comigo mesma um jeito de ser feliz, sem me importar com o que os outros pensam, sem me importar com que os outros façam ou falam. Importando-me comigo mesma, com meu crescimento espiritual, pessoal e profissional, sem esquecer de que sou humana e que também devo ajudar ao próximo.
Sempre temos duas escolhas, sentar e nos lamentar por ter dado errado ou levantar a cabeça e seguir em frente. Eu fiz isso hoje. E você?

quinta-feira, 18 de março de 2010

Literalmente ano novo, vida nova 2

Antes de relatar mais algumas mudanças significativas pra mim que aconteceram (que foram poucas, mas enfim), farei um comentário sobre a terceira mudança deste ano, a qual havia escrito na postagem anterior:
"Terceira grande mudança: meu quarto transformado em um ambiente clean. Estarei me livrando em breve dos muitos cacarecos, bagulhos, entulhos, bugigangas que eu tenho". Ainda não me livrei de todos os cacarecos. Tenho medo de começar a arrumar as coisas ou melhor tentar arrumar e não conseguir terminar, não sabendo onde colocar algumas coisas, se eu jogo fora no lixo, guardo ou o que. Fora que eu não consigo deixar meu quarto arrumado. Se eu tenho muitas atividades a desculpa é que eu não tenho tempo, se eu não tenho nada pra fazer o tempo passa muito rápido. Talvez quando finalmente meu quarto ficar arrumado e organizado, é porque finalmente consegui tudo o que eu queria nesta vida.
Quarta grande mudança: finalmente tomei vergonha na cara e publiquei um livro de poesias meu, num site. Não é lá grandes coisas, porque no site dá para publicar qualquer tipo de livro sem restrições nem nada, sem revisão também, nem uma prévia seleção. Mas já é um começo!
Quinta grande mudança: Estou escrevendo um livro de crônicas em conjunto com amigas minhas da faculdade, apesar de não ser sobre a área que estamos estudando, mas é bem interessante. Eu comecei a fazer a minha parte, só espero que as meninas não dêem pra trás.
Assim eu vou, em pouquinho em pouquinho, mudando minha vida para melhor, é claro! Sempre buscamos melhorar nossa vida, não precisa ser em questões sócio-econômicas, basta melhorar pessoalmente, espiritualmente, essas coisas. No final, é isso que verdadeiramente importa.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Literalmente ano novo, vida nova!

Escrevi no meu orkut, no meu twitter, no meu msn e sei lá mais onde, a seguinte frase: "Muitas mudanças acontecerão em 2010".
Primeria grande mudança a acontecer neste ano: mudamos de apartamento para uma casa.
Segunda grande mudança: estou começando a acordar pra vida.
Terceira grande mudança: meu quarto transformado em um ambiente clean. Estarei me livrando em breve dos muitos cacarecos, bagulhos, entulhos, bugigangas que eu tenho.
Estas foram as três grandes mudanças que aconteceram só neste começo de ano. Espero outras grandes mudanças de minha parte para este mesmo ano!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Revelo-me no escuro

Eu gosto da escuridão. Nela estão escondidos os mistérios. Através dela podemos encontrar a luz. A partir dela podemos filosofar. Fazer arte e trocar confidências. Esquecer as coisas ruins. Deixar as lágrimas caírem. Sonhar em paz. Gozar do silêncio. Planejar o futuro. Salpicar a vida, dando-a mais sabor. Soltando asas à imaginação. Criando espaços no vazio. No escuro mostro-me na essência de quem sou. Fico nua. Sem as máscaras da sociedade. Sem os códigos da coletividade. Sem o medo do que os outros vão pensar.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Três minicontos

Encontrei uns minicontos que havia escrito certa vez:

Por um fio de cabelo
A vida é tão forte e tão delicada, onde num minuto estás bem e no seguinte estás deitado pálido e imóvel defunto.

Sem título
Nessas horas a matéria vence a alma e tudo se transforma em puro êxtase de emoções.

Uma borboleta
Uma borboleta voa, cortando graciosamente o ar em busca de seu objetivo, uma flor.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Sonho para 2010

Tive um desejo inexplicável e muito revelador hoje. Tive vontade de criar um estúdio em casa. Só espero que eu possa ter o apoio de amigos, porque não sei se conseguirei sozinha. Precisarei de um(a) amigo(a) com habilidade com a máquina fotográfica, outro(a) com um toque especial para dirigir, outro(a) para maquiar e também para me ajudar a me transformar por fora, porque por dentro já estou fazendo grandes progressos para ser uma pessoa melhor a cada dia.
Quero mudar minha vida este ano. Quero ser quem sempre sonhei em ser, ou seja, a personagem que estou escrevendo atualmente. Alguém com medo, mas que o enfrenta de frente e com coragem, porque "coragem não é a ausência de medo, e sim o julgamento de que há algo mais importante do que o medo". Quero lutar pelos meus sonhos e objetivos, por mais mirabulosos que sejam.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sentindo-se em paz

Uma noite. Fazia tempo que não se conectava no messenger. Entrou. Poucos amigos online. Mas uma amiga em especial a fez ter vontade de papear. Disse oi e perguntou se estava tudo bem. A resposta não foi muito boa. Sua amiga estava deprimida, faz um tempo. Um cara deixou-a assim. Ficou chateada pela amiga. Fazia tempos que eles haviam terminado e ela ainda estava triste com isso. Primeiro ficou com raiva, porque nem sabia que ela estava namorando ou que havia terminado. Mas respirou fundo e tentou ajudar a amiga. Mesmo que via internet. É difícil fazer alguém entender suas palavras escritas, porque cada um interpreta da maneira que melhor lhe convier. Mas não desistiu. Ficou conversando com ela por horas e outros dias seguidos. Sentiu-se melhor por estar ajudando uma amiga entre o natal e o ano novo, porque (a) natal representa uma data de solidariedade, de se doar e (b) o ano novo é uma data onde refletimos sobre o que fizemos e o que queremos fazer e ser. Gostou de poder ajudar uma amiga. Sempre quisera fazer isso, mas nunca teve a oportunidade. Sentiu-se em paz, como se tivesse realizado um sonho.

Carina F. da Rosa

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Análise das metas de 2009


Final de ano e início de ano novo sempre há aquelas análises das metas cumpridas ou não, e da preparação de novas metas. Eu não sou diferente dos outros, então lá vai. Primeiramente análise das metas para 2009.

Metas para 2009:
1) Terminar de escrever “O Retorno da Rainha”; (Não terminei, aliás até mudei o início do livro!)
2) Fazer o curso “Laboratório de autoria” no SESC; (Não fiz, por causa dos ensaios do teatro que não poderia faltar, porque estávamos perto da estréia e tinha muita coisa ainda para arrumar)
3) Criar e produzir bolsas e outros acessórios para vender em meu site oficial; (Vix! Não consegui fazer nenhuma bolsa ou acessório e ainda por cima meu site oficial tive que deletar, porque o geocities não existe mais, mas está salvo em bloco de notas o meu site, em códigos html. Não estou achando nenhum site para colocá-lo no ar de novo que seja de graça, hoje quase tudo se paga na internet, que merda! E quem não tem dinheiro como é que faz? Não faz, né?)
4) Arrumar e atualizar todo mês meu site oficial;
(Agora nem pensar! Está fora do ar! Mas mesmo assim não consegui cumprir enquanto estava no ar)
5) Assistir mais peças de teatro; (Este eu consegui cumprir, pena que perdi meu caderno, onde anotava tudo, como um diário de teatro, é por isso que meu blog teatropia está um pouco abandonado, mas como vamos nos mudar, talvez o encontre! Assim seja!)
6) Participar de oficinas gratuitas da AJOTE; (Participei de uma ou outra oficina)
7) Criar muitas e muitas coisas; (Até criei, mas a maioria ficaram no pensamento ou até cheguei a anotar a idéia)
8) Ler os livros Sushi (Li), Crepúsculo (Li), Lua Nova (Li), Eclipse (Li), Aprendendo a ser TopModel (Não li), O Aprendizado de Pequena Árvore (Li), O Mundo de Sophia (Não li), Um Passe de Mágica (Não li), Dom Quixote (Não li), Laços Humanos – A marcha do tempo 2 (Não li), O Nome da Rosa (Não li), O diário roubado (Li), A coragem de criar (Não li), etc.

Metas para 2010:
1) Estágio na área de design de moda;
2) Modelar e costurar bolsas e acessórios;
3) Ler mais livros do que 2009, ou seja, mais de 20 livros;
4) Manter as coisas organizadas, desde minha agenda acadêmica (no sentido de sempre realizar os trabalhos com antecedência) ao meu quarto (para mantê-lo arrumado);
5) Continuar as aulas de YOGA que iniciei no final de 2009;
6) Fazer terapia;
7) Escrever “Um Reino Chamado Christal”
8) Continuar atuando e participando da Companhia de Teatro da Univille.

Bom, no final do ano veremos o que foi realizado, espero que grande parte dessas metas para este ano fiquem verdes por eu ter conquistado.