sábado, 28 de fevereiro de 2015

Já perdi a fé nas pessoas

Este post é especial. Primeiramente, porque comecei a escrevê-lo na quinta-feira à noite e finalizando, dando uma relida, reeditada e tudo mais pra ficar do jeito que precisava ficar e só publicando agora. Segundo, porque é engraçado como de tempos em tempos eu recebo um comentário de alguém no meu post Acho que perdi a fé nas pessoas e percebi que não estamos sozinhos nesta.
Alguns comentários foram animadores e outros pessimistas. Ambos me deram vontade de pular pra dentro do computador e abraçar essas pessoas que passaram ou estão passando pelo que eu passei e, às vezes, ainda passo (infelizmente).
É difícil perder a fé nas pessoas, pois nós (ou pelo menos eu) damos muitas chances das pessoas se redimirem, o que normalmente não acontece (deprimente). Depois de um tempo a gente não sabe se desiste da pessoa ou deixa assim mesmo como está.
Depois de muitos altos e baixos, estou aprendendo a dar mais valor a mim, a pessoa mais importante na minha vida (claro, sem mim eu não conseguiria viver, comer, beber, etc.). Claro, que finalmente encontrei minha alma gêmea (assim gosto de pensar!) que me dá todo o apoio que preciso. E como consegui isso?
Por incrível que pareça, quando eu perdi todas as esperanças, quando não acreditava em mais ninguém (muito menos em mim!), veio Deus e me mostrou a luz. Mostrou-me que eu não estava sozinha, que Ele estava sempre comigo ao meu lado, mas que, às vezes, Ele se sentia abandonado por mim (assim como eu me sentia com relação a Ele e o mais incrível é que Ele nunca nos abandona, mas nós muitas vezes O deixamos de lado). Foi quando voltei a frequentar a Igreja Católica, voltei ao grupo de jovens e tals (não virei nenhuma beata ou santa, mas eu faço o que posso pra ter um bom relacionamento com meu pai celestial).
Neste tempo, tentei dedicar a minha vida ao grupo. Foram 3 anos que mudaram a minha vida (encontrei meu noivo lá! Eeeeeebaaaaa!). Este ano eu poderia continuar, mas decidi me afastar um pouco (não totalmente) para dar espaço a outros projetos da minha vida, mas sem esquecer a cada dia do mais importante ter fé em Deus, porque Ele sabe o que está em meu coração, Ele sabe do que eu preciso, Ele é minha fortaleza e meu porto-seguro. Quando preciso de sabedoria pra lidar com alguma coisa, eu simplesmente rezo. E, por mais incrível e meio que coisa de filme ou de outro mundo, meu noivo é exatamente como eu rezei pedindo à Deus um companheiro.
Não me importo mais se meus amigos não são como eu gostaria que fossem. Pois eu queria encontrá-los mais, nem que seja pra apenas tomar um suco ou se encontrar aqui em casa, em programas mais baratos, porque a vida não está fácil pra ninguém, mas eu queria ter mais contato fisicamente com eles. Mas que culpa tenho eu, se nunca dá certo quando eu tento marcar algo com eles? Que culpa tenho eu? E olha que eu insisto, insisto, até que eu desisto, porque chega uma hora que cansa.
Com isso, aprendi a dar mais valor a minha família, porque ela é minha única amiga de verdade. Ela sempre está, quando eu mais preciso. Quando preciso de um conselho, quando preciso de um puxão de orelha, quando preciso de um ombro amigo pra chorar e desabafar. Depois que eu parei de ver minha família como vilã (porque, às vezes, a gente vê pai e mãe assim, como vilões que só querem nos sabotar, bem tipinho adolescente), minha vida mudou completamente.
Claro que a sua família não é como a minha, pode ter muito mais conflitos, até mesmo um conflito do passado dos seus pais que reflete na vida deles, atualmente, no relacionamento com você. Mas, daí, cabe a você tentar descobrir o que é para entender o que vocês estão passando. Por exemplo: o meu pai era um carrasco. Eu tinha muito medo dele e ainda tenho um certo receio, prefiro conversar e falar com minha mãe sobre as coisas da vida e tals. Mas, hoje em dia, eu sei que ele mudou bastante. E não faz muito tempo, eu entendi um pouco mais o meu pai. E foi numa palestra, que eu mesma convidei meus pais a darem, sobre Pais e Filhos, no retiro do grupo de jovens, que eu descobri que ele aprendeu a perdoar as atitudes do pai dele (meu avô, que morreu antes do meu pai conhecer minha mãe e consequentemente eu não o conheci) para com ele e as mãe e irmã mais velha dele (no caso minhas avó e tia) quando ele era criança. Só depois de muitos anos, meu pai o compreendeu e o perdoou. E deu pra perceber uma melhora nele, ele ficou um pouco mais compreensivo e mais calmo.
Melhorou nosso relacionamento? É... Um pouco! Tanto é que no ano passado minha mãe viajou por um mês e não nos matamos, hahahahaha. Brincadeirinha! Mas eu também aprendi a reconhecer meu pai como um ser humano que erra. E quem é eu pra não perdoá-lo pelos seus erros? Afinal, ele sempre tentou ser um pai melhor do que o dele foi (apesar dos pesares).
Talvez, antes mesmo de procurarmos bons amigos, devemos primeiramente melhorar nosso relacionamento com nossa família, pra depois melhorarmos nosso relacionamento com nossa segunda família que são os amigos. Porque amigos vem e vão, mas família é única e é pra sempre.
E aí? Que tal aproveitar que é o ano da família (pra Igreja Católica) e melhorar seu relacionamento com seus pais, seus irmãos, seus avós...?

Espero, com este post, ajudar algumas pessoas ou muitas (aquela bem humilde!) a passar por esta fase difícil de quando se perde a fé nas pessoas.

See you.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

The Five Friday #58

As 5 boas da semana:

#1- Consegui assistir as 3 aulas gratuitas da Eduk, finalmente, pois eu me inscrevia e sempre surgia algo pra atrapalhar ou eu esquecia, e desta vez eu consegui assistir a aula Kimono Jackets com Lívia Costa da marca CoelhoShow, perdendo apenas o comecinho do primeiro dia, mas peguei tudo dos outros dois dias;

Livia Costa da Coelho Show ministrou o curso de Kimono Jackets na EduK.

#2- Sábado, mais pro final da tarde, o xuxu cortou meu cabelo e agora estou com novo visual #visual2015;

Antes e depois. E adivinhem quem cortou meu cabelo!? Normalmente minha vó que corta, mas ela estava viajando, então quem cortou foi o xuxu! Claro que ficou melhor no dia seguinte, depois de lavado e tudo o mais. E na foto estou sem maquiagem, sem nada... XD

#3- Domingo, no comecinho da tarde, foi a 3ª aula de dança gaúcha que o xuxu e eu estamos fazendo. Aprendemos até agora a vanera, a valsa e a marchinha (devo confessar que as duas últimas estou indo bem, mas a vanera... Viiiix! É melhor nem comentar!);
#4- Domingo, depois da aula, foi no MAJ (Museu de Arte de Joinville) num lindo piquenique, onde desvendei a máquina fotográfica digital do meu amor e encontrei umas funções super bacanas;

Eu com meu novo corte de cabelo e o xuxu no jardim do MAJ.

#5- Terça-feira minha mãe e eu fomos na aula de yôga e depois ao cinema ver "A Teoria de Tudo", que é um filme incrível sobre a vida de Stephen Hawking e sua ex-esposa Jane Wide, interpresados pelos atores Eddie Redmayne (vencedor do Oscar 2015 de melhor ator, muito merecido!) e Felicity Jones. E no dia seguinte, quarta-feira, terminei de o livro A teia da aranha da escritora Agatha Christie, que também é maravilhoso!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O que é estilo?

O que é estilo? - Blog Preconmoda



"A Elegância é a arte de não se fazer notar misturada ao cuidado sutil de se deixar distinguir."
Paul Valery


Se moda significa modo, maneira, o que significa estilo?
No dicionário Priberam da Lingua Portuguesa retrata estilo de quatro formas diferentes. A primeira como maneira de dizer, escrever, pintar, esculpir. A segunda como excessivo apuro no dizer ou no escrever. Feição, caráter (de produções artísticas e do engenho). Uso, costume. Natureza, espécie, modo, maneira.



Disso tudo, podemos traduzir para a moda, que estilo é a maneira como nos portamos, ou seja, é a forma como nos comportamos em determinados ambientes e situações diárias, o modo como agimos com as pessoas e como nos vestimos. O estilo da nossa roupa deve estar associado a nossa maneira de pensar, nossa opinião, caráter e personalidade. Não adianta uma garota meiga, romântica usar uma roupa super sexy que ela vai parecer desengonçada e estranha (obs.: a não ser que ela use uma roupa sexy-romântica).



"O estilo é a marca registrada de uma pessoa, quem sabe se vestir e se comportar adequadamente com seu estilo vai ser sempre lembrada e reconhecida pelo seu visual característico, pela sua personalidade" diz Adriana Delphino.


Existem sites e livros que falam sobre estilo e personalidade. Então, fique ligado em sua própria personalidade na hora de criar ou melhorar ou aperfeiçoar seu estilo para não errar.

Dicas:

Livro
Personal Stylist - Guia para consultores de imagem, Titta Aguiar. (obs.: é o único que eu li, hahaha!)

Site
Achados de Moda
Aprendendo Moda - Exercício Fashion - Estilo Próprio (Passo 1)
Aprendendo Moda - Exercício Fashion - Estilo Próprio (Passo 2)
Villa Damiani - Possui várias dicas de moda, estilo, organização do guarda roupa
Join Fashion da consultora de imagem Katia Fortuna
Moda Terra - Aprenda em cinco dicas simples a ser chique e elegante

Publicada em 17 de setembro de 2010.

Obs.: as observações que estão entre parenteses e riscadas foram adicionadas posteriormente.

See you!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Moda Contestatória

Moda contestatória - Blog Preconmoda

Na aula de Projeto de Moda hoje, tivemos que ler um texto sobre a estilista Zuzu Angel (para quem não sabe, ela foi e ainda é um dos maiores ícones da moda brasileira em todo o mundo, teve um filho morto por torturas na ditadura militar, assim Zuzu começou a criar moda criticando esse sistema ditatorial) e responder a seguinte pergunta (que não é bem pergunta):

À partir do breve conhecimento biográfico de Zuzu Angel, escreva sobre o papel da moda na sociedade sendo usada como protesto e para retratar o espírito do tempo (o que acontece em determinado período).

Escrevi: A moda é um meio de expressão e como tal, não representa apenas cenas felizes e coisas bonitas, retrata também a imundice do mundo através de protestos, os quais são formas de expressar descontentamento com determinada situação.

Não só Zuzu Angel criou uma moda contestatória, mas os hippies e os punks também, num protesto contra uma sociedade consumista (só pensar em ter e esquece-se de ser), terrorista (que provocam guerras, causando a morte de milhares de pessoas), agressores (destruindo o meio ambiente, esgotando os recursos naturais, poluindo-os), egoístas (acumulando bens através de mão-de-obra barata) e desumanos (estupram, matam, roubam, torturam, etc.). Assim, a moda expressa-se numa identidade contestatória, com cunho social, para alertar, cativar as pessoas, mostrar a realidade, para chamar atenção do público que o consome, que não é pouco, porque todo mundo tem a necessidade de se vestir e de se diferenciar dos demais.

Existe o instituto Zuzu Angel, sem fins lucrativos, que ensina moda e foi criado em 1993 (se eu não me engano) por uma de suas filhas jornalistas.

Estou adicionando um vídeo que fala um pouquinho mais sobre a Zuzu e seu trabalho.

Publicada em 08 de julho de 2010.

See you.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Os Quatro Grandes - Agatha Christie


Os 4 grandes foi o primeiro livro, do box que comprei, que li. Ele conta a história de um dos casos mais complexos que Hercule Poirot já investigou. Uma organização criminosa chamada de Os Quatro Grandes (representados por um chinês, um americano, uma francesa e um inglês, conhecido como "Destruidor") vem causando uma série de assassinatos e sequestros, dando trabalho ao detetive Poirot que conta com a ajuda de seu amigo Hastings (isso me fez lembrar Sherlock Holmes e seu amigo Dr. Watson).
A trama é envolvente, deixa o leitor ansioso para saber o final, pois a cada momento surge algum empecilho, algum crime novo... E cada vez que vamos chegando perto do fim nos perguntamos: "Será que Poirot conseguirá desmascarar os 4 grandes? Ou eles conseguirão escapar?". O final é simplesmente incrível! Com várias reviravoltas que nos deixam com os nervos à flor da pele.

See you!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

The Five Friday #57

As 5 boas da semana:

#1- Sábado, à noite, foi a festa de aniversário da minha cunhadinha e ela fez uma torta de morango, que minha Nossa Senhora! Estava divina! Tanto é que não sobrou;
#2- Domingo, xuxu e eu terminamos de ver a segunda temporada de Game of Thrones (a terceira temporada vamos começar a assistir, depois que ele acabar de ler o terceiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo, o bom é que ele vai me contando tipo "isso não aconteceu assim, aconteceu assado", "teve mais coisa, como isso, isso e aquilo", assim fica bem mais interessante! Pelo menos pra mim, pois devo confessar que estou com preguiça de ler os livros, hahahaha!);
#3- Minha mãe e eu fizemos uma grande faxina na casa (não sei se o pessoal do lixo reciclável vai ficar feliz ou triste com tanto material reciclável, principalmente papel, que jogamos fora);
#4- Terminei de ler "Equilíbrio e Resultado" de Christian Barbosa;
#5- Busquei minha encomenda que havia chegado e o Correios tentou 3 vezes entregar aqui em casa, mas não conseguiram, e era meus livros, meus dois livros de poesia que escrevi, editei e criei a ilustração da capa.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Muitas mudanças...

Estava vendo que eu tenho um marcador "vida de cão" onde falava um pouco do Benjamin, o yorkshare da minha irmã. E lembrei de fazer uma postagem muito importante sobre mudanças, pois do final do ano passado pra cá, ele sofreu várias mudanças na vida de cão dele.
O primeiro acontecimento de grande mudança foi ter se mudado de uma casa para um apartamento. Uma mudança radical, pois em casa ele tinha mais espaço pra correr, explorar e se divertir, mas ele acabou se acostumando e se adaptando bem rápido com o apê.
O segundo grande acontecimento de mudança foi ter viajado pela primeira vez (e que não foi a única vez). E uma viagem de duas horas na BR! Mas ele estava bem confortável no carro e depois que percebeu que não estávamos abandonando ele (ele tem esse trauma, tadinho!), ele curtiu a viagem e apreciou bastante.
Às vezes, ele vem nos visitar, mas quando ele sente que minha irmã está se preparando pra voltar pra casa, ele fica em volta dela como quem diz: "não me deixe aqui, me leve junto contigo, não me esquece". Quer ver um dia em que minha irmã o deixou aqui num domingo de manhã, pois ela ia ficar fora o dia inteiro e não queria deixá-lo sozinho. Ele ficou deprimido, e apesar dos nossos esforços (de termos brincado com ele, dado umas carninhas na hora do almoço e deixá-lo bem à vontade latindo no quinta pra criançada que passava na rua), ele demonstrava sinais de tristeza. O que se dissipou quando minha irmã e meu cunhado voltaram pra buscar ele.

1) Benjamin em cima da mesa de centro da sala tentando se refrescar do calor horrível que estava fazendo; 2) Benjamin desacorsoado esperando minha irmã sair do banho; 3) Que calor! Nem o chão me refresca!; 4) Morri!; 5) Benji natalino; 6) Benji natalino de preguiça na cadeira da sala de jantar; 7) Benji preguiçoso dormindo no sofá; 8) Benji pedindo carinho pro titio Xande; 9) Benji em sua primeira viagem de carro.

O Benji é um fofo!

See you.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O que é moda?

Segunda postagem do blog Preconmoda.

O que é moda?




Estava pensando e procurando inspiração para escrever sobre o que é moda. Encontrei um artigo interessante, da Fernanda Miranda, que fala bem sobre esta questão, que eu venho a tratar neste blog. Sobre como as pessoas vêem a moda de uma forma preconceituosa. Talvez por ela ter um caráter efêmero e supostamente privilegiar o superficial (obs.: a moda não é apenas glamour, tem muita ralação por trás do show business que vemos nas passarelas). Claro, a moda enfeita ou cobre uma superfície. Mas não é só isso. E quem pensa que a moda é apenas isso, se enganou e certamente desconhece as implicações sociológicas e psicológicas da moda.


Mas, então, o que é moda?
A palavra “moda” vem do latim modus, significa “modo”, “maneira”. É um sistema que acompanha o vestuário e o tempo, que integra o simples uso das roupas no dia-a-dia a um contexto maior (político, social, sociológico).
Antes não existia moda, e sim uma necessidade do homem de usar roupas para se protegerem do frio ou dos raios solares entre outros fatores de proteção. Com o passar dos anos o homem começou a ter a necessidade de se diferenciar uns dos outros, passando a utilizar também acessórios/adornos.
A moda surgiu como uma necessidade, hoje ela é uma expressão e como expressão, para mim, ela é uma arte. Como disse o filósofo Manuel Fontán de Junco, a moda "conseguiu estabelecer uma ponte entre a beleza e a vida. A moda é uma arte que se usa, que se leva para a rua; é uma arte de consumo a que todos têm acesso".
Nas palavras de Daniela Eufrásio Cavallaro Moraes*: “A moda passou por várias transformações, muitas vezes seguindo as mudanças físicas e principalmente sociais que ocorreram dentro de um determinado período. A moda pode ser considerada o reflexo da evolução do comportamento. Uma espécie de retrato da comunidade. É uma linguagem não verbal com significado de diferenciação. Instiga novas formas de pensar e agir”. (obs.: disse tudo!)

A ilustradora Ana Vicente no live painting que aconteceu na abertura da mostra NOVO – Expressão de Moda, em março de 2010.

E termino esta postagem com o meu conceito de moda: "Moda é um arte que não mede esforços para alcançar as pessoas. Elas usam moda sem saberem que estão usando. Mesmo que digam que não a seguem, estão seguindo. Ela está sempre presente. Ela é um presente. É um pensamento. Um sonho. Uma criança que nasce numa concepção de idéias e morre, mas continua vivo na lembrança".

*MORAES, Daniela Eufrásio Cavallaro. Moda e Arte no Século XX. Trabalho de Conclusão de Curso de Licenciatura em Educação Artística, sob orientação do prof. Especialista Luiz Carlos Cappellano. FESB- Fundação Municipal de Ensino Superior de Bragança Paulista. Dezembro de 2008 p. 1.


Publicação de 08 de julho de 2010,
no blog Preconmoda, feita por mim.

Obs.: As observações entre parenteses e riscadas acrescentei agora.

Até mais!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Além da Imaginação - Ulisses Tavares

Estava fazendo uma limpa nas minhas coisas (ontem) e encontrei um texto num caderno de língua portuguesa da sexta série (o que equivaleria ao sétimo ano atualmente). E achei fantástica!

Além da imaginação

Tem gente passando fome.
E não é a fome que você imagina
entre uma refeição e outra.
Tem gente sentindo frio.
E não é o frio que você imagina
entre o chuveiro e a toalha.
Tem gente muito doente.
E não é a doença que você imagina
entre a receita e a aspirina.
Tem gente sem esperança.
E não é o desalento que você imagina
entre o pesadelo e o despertar.
Tem gente pelos cantos.
E não são os cantos que você imagina
entre o passeio e a casa.
Tem gente sem dinheiro.
E não é a falta que você imagina
entre o presente e a mesada.
Tem gente pedindo ajuda.
E não é aquela ajuda que você imagina
entre a escola e a novela.
Tem gente que existe e parece imaginação.

Ulisses Tavares.
Viva a poesia viva, p. 57.
São Paulo, Saraiva, 1997.

É uma crítica bem forte. Apesar de ser uma poesia com palavras leves, é carregada de questionamentos e que nos faz lembrar daqueles que estão distantes da nossa realidade, que às vezes parece ser tão surreal. Mas é real. E muitas vezes não queremos ver essas pessoas invisíveis que tendemos a ignorar. Às vezes, por medo (provocada pela ignorância). Às vezes, por vergonha (por pensar que não podemos fazer nada). Às vezes, por arrogância. Seja como for preferimos que tudo não passe de imaginação.

See you.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Ano de mudanças positivas

2015!
Este ano parece que vai ser um ano muito bom, ou, pelo menos, positivo. Quero dizer, não sei se vai ser bom pro país (quem acompanha jornais, etc. sabe com as coisas estão difíceis, aliás nem precisa acompanhar os jornais, é só fazer compras no supermercado, colocar gasolina no carro, moto, etc.). Mas enfim, penso que será bom e positivo emocionalmente pra mim.
Faz tempo que não me sinto tão bem por tanto tempo. Antes sempre havia algo pra me estressar, colocar-me pra baixo, angustiar-me... Parecia que algo sugava minha energia e eu ficava sempre cansada.
Agora não. Parece que as coisas melhoraram. Apesar de que parece cedo pra tirar conclusões. Mas acredito que isso, este estado de espírito (podemos chamar assim), se deve a uma única prática. Nada melhor do que fazer um bom desapego! Limpei meu guarda-roupas. Tirei tudo o que não uso. Joguei fora o que está tão velho que não presta nem pra pano de chão. Fora que tirei muito papel e joguei no lixo reciclável.
Ainda tem bastante coisa pra me livrar, mas o primeiro passo já foi dado. Agora só conseguir me organizar melhor, adaptar-me aos horários e colocar a mão na massa.
Eu sei que tem muita gente que não acredita, mas... Estava dando uma olhada na minha numerologia pra este ano. Este ano meu número é o 6 que significa que é o meu ano para ser idealista, exigente e perfeccionista. "Esse ano traz a oportunidade de balancear os seus ideais pessoais e sociais. Esse é o significado do número 6: a busca pelo equilíbrio. Conforme a Numerologia, você tende a estar mais inquieto, portanto, é hora de resolver conflitos e tentar dosar suas expectativas para que o seu idealismo proporcione satisfação e amor para você. Procure aceitar e perdoar a si mesmo, as outras pessoas e a vida." (tirado do site Personare). Ou seja, será um bom ano para me equilibrar. E eu estou trabalhando pra isso acontecer!

See you!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

The Five Friday #56

As 5 boas da semana:

#1- O blog tem postagens programadas até março!
#2- Meu quarto finalmente está com cara de quarto (claro que foi uma tarefa de muitos dias pra deixar tudo em ordem, joguei fora e mandei pra doação muuuuuuita coisa)!
#3- Estou aprendendo a bordar pedraria!
#4- Comecei a ler o livro "Na teia da aranha" da escritora Agatha Christie!
#5- Final de semana muito bom, comprinhas (comprei meu tapetinho de yoga pras aulas e práticas em casa) e dança gaúcha com meu amor é tudo de bom!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Um blog? Por que não? - Preconmoda

Minha primeira postagem no blog Preconmoda era uma introdução a minha ideia do pra ele. Na época estava na faculdade ainda, mas já estou formada faz uns aninhos.

Um blog? Por que não?

Estou no meu terceiro ano do curso de design de moda em uma universidade e estava pensando em temas para o meu TCC. Pensei na minha imensa indignação sobre o que as pessoas pensam sobre moda. Então, pensei em fazer meu TCC com base no tema moda e preconceito. Mas estou com medo de abordar sobre este assunto e acabar me perdendo no meio do caminho ou de não dar conta de levá-lo até o final. Aí, veio-me a idéia de criar um blog. E por que não? Já tenho blog sobre teatro, entrevista, cartas que nunca enviei e até um diário virtual. Por que não ter um blog que fale sobre moda, já que é o que eu estudo?
Mas não quero criar apenas mais um blog de moda. Quero que as pessoas que o leiam se interessem e se apaixonem pela essência da moda e não pela futilidade dela. Nada de fast fashion. Que seja algo mais pessoal, de mais opinião e pontos de vistas diferentes, com curiosidades e não só moda por moda ou cópias. No mundo fashion há MUITA cópia e eu já estou cansada disso, quero algo mais original, se é que isto exista (pelo menos nos tempos de hoje). Mas a gente tenta criar, desenvolver nosso lado criativo, mesmo que esteja difícil nestes tempos de boicote a criatividade.
Então, espero que vocês gostem e apreciem. Vou tentar postar esporadicamente. Não prometo sempre, porque é difícil. E penso que vocês me compreendem, nos dias atuais tudo é uma verdadeira correria para quem chega mais rápido a lugar nenhum.

Publicação de 01 de julho de 2010,
no blog Preconmoda, feita por mim.

See you.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

O Visitante Inesperado (Agatha Christie)

Hoje vou postar minha primeira resenha (de um livro, porque quero escrever sobre filmes e seriados também), que li faz um tempinho, e foi escrita pela rainha do crime.

O livro “O visitante inesperado” foi o primeiro livro que li da autora Agatha Christie. Li-o em 2007, quando fazia o ensino médio (o encontrei na biblioteca do colégio quando fazia uma pesquisa para um trabalho da escola e o título me chamou a atenção). E por que só agora estou fazendo uma resenha sobre ele?
Bem simples! Porque recentemente comprei um Box com cinco livros da autora. Comecei a ler um deles, terminando semana passada (onde escrevi isso no The Five Friday #55) e pretendo continuar lendo os livros da Christie até terminar o Box (e talvez indo mais além, até já pesquisei outros livros da autora que me interessaram). E antes de falar sobre este último livro que acabei de terminar de ler, nada mais justo que falar desse outro, que foi o incentivador dessa compra.
"O visitante inesperado" é um livro cheio de suspense sobre a morte de um homem numa mansão. Todos da casa são suspeitos. Quem será o assassino? Só lendo pra descobrir!
Amei este livro, pois, além de ser uma literatura fácil de ler, é envolvente e empolgante. Christie consegue te prender em cada palavra e te faz questionar muitas coisas. Fora a forma como ela consegue manipular o leitor, pelo menos nesta trama, de fazê-lo suspeitar de todos menos do real assassino. E mesmo você sabendo disso, você acaba não suspeitando do assassino (o que me mais me chamou a atenção). Porque nem sempre o óbvio fica claro.
Ainda não estou muito acostumada a escrever resenhas. Estou lendo alguns textos sobre isso pra tentar escrever melhor, mas sei que só com a prática que realmente vou desenvolver isso da melhor maneira possível.

Hasta!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

The Five Friday #55

As 5 boas da semana:

#1- Terminei de pintar a caixinha de remédio pro nosso futuro lar e ela já está no apê com remedinhos dentro;
#2- Comecei a frequentar aulas de dança gaúcha com meu noivo (Projeto #2 - Saúde = iniciado);
#3- Comecei a aprender bordado com pedraria (Projeto #5 - Empresa = iniciado);
#4- Comecei a frequentar aulas de yoga (Projeto #2 - Saúde = iniciado);
#5- Terminei de ler o livro "Os Quatro Grandes" da escritora Agatha Christie.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Preconmoda

Olá galera!

Venho comunicar o fim do blog Preconmoda que eu administro e escrevo, pois não consigo dar conta de alimentar 2 blogs ao mesmo tempo. Assim, resolvi passar as postagens que tem lá pra cá e também as postagens que escrevi pro blog Falar de Moda, da qual não faço mais parte. Por tanto, falarei de um assunto que gosto e de que sou formada aqui mesmo no meu blog pessoal, mantendo uma coluna fixa de moda (que provavelmente sairá nas quartas-feiras).

Imagem de perfil que coloquei na página do site no facebook.

Aguardem!


See you.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

7 anos!!!

7 anos de Cacá, Diário à Bordo!!!

Boa noite gente!

Eu estava pensando neste sábado que eu poderia mudar a cara do blog pro aniversário de 7 anos dele. Porém, HOJE é o aniversário do blog, então não conseguiria a tempo pensar e desenvolver uma nova cara pra ele. Mas podem ter certeza que até o final do mês o blog terá uma carinha nova.

Aguardem!

Hasta la vista!