sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Caro amigo,

Agora entendo muita coisa. Entendo que o tempo em que passamos juntos teve momentos bons, mas não consigo tirar da cabeça os momentos ruins. Talvez, por eles serem muito mais fortes, se sobrepõem. Você nunca chegou a me amar, não é mesmo? Você nunca me viu como uma mulher, que poderia casar e ter filhos, não estou certa? Você nunca me amou de verdade como eu o amei. Como eu pensava que você sofria com o término do relacionamento anterior, eu me senti com o fim da nossa relação como se tivesse servido apenas de consolo, como uma coisa temporária até encontrar coisa melhor. Recebia apenas algumas migalhas que você jogava e me contentava com isso pensando que você ainda estava emocionalmente instável por causa da ex. Mas por mais que eu me esforçava, você sempre me fazia sentir inferior, como se você fosse muita areia para o meu caminhãozinho. Assim, percebo que se você tivesse me amado de verdade você:
  • ... me amaria do jeito que sou, sem tentar, constantemente, me mudar e respeitaria meu tempo de evolução/crescimento;
  • ... não se importaria com as nossas diferenças, e sim, aprenderia com elas;
  • ... nosso relacionamento não seria apenas você, seria nós, ou seja, você me consultaria sobre o que fossemos fazer, não sendo tão egoísta;
  • ... você não faria com que me sentisse insegura o tempo todo com o nosso relacionamento;
  • ... não reclamaria tanto que estava gastando demais (principalmente que sei que depois que terminamos você gastou muito mais do que quando estávamos juntos);
  • ... você não se importaria do lugar a onde fossemos, o importante era estar comigo;
  • ... você me procuraria, mandaria mensagem no celular, me ligaria pra saber como estou, mandaria mensagem no orkut ou por e-mail, não ficaria sempre esperando que eu corresse atrás de ti. Quem ama corre atrás!
Acabamos e você disse que eu te curei. Sim, eu era apenas uma aspirina? Eu te curei? Ótimo, mas poderia ter sido pra mim e não para outra, não é mesmo? Que merda!
Bom, pelo menos vejo que estou muito melhor sem você. Queria continuar sendo sua amiga, mas você nunca parece me entender, neste ponto. Então, sei lá... Se você quiser continuar sendo SÓ AMIGOS (e eu enfatizo, porque é SÓ o que eu quero, nada mais), estou aqui, mas se não tudo bem, eu tenho amigos, não tenho só você.
Então, estou muito melhor. Quando vou cortar o cabelo penso em ti e em como não me deixava fazer isso e sinto-me maravilhosa por poder tomar as minhas próprias decisões sobre o meu corpo. Quando vou me vestir, posso escolher minhas roupas livremente, sem ficar apreensiva se você irá gostar. Ou comer e fazer o que eu quiser, só pra variar um pouco. Estou conhecendo alguns lugares em minha cidade que eu não conhecia e revendo outros que fazia tempo que eu não ia. Estou me divertindo. Estou vivendo. Conhecendo outras pessoas. Fazendo novas amizades. Aproveitando pra fazer coisas que nunca havia feito antes (como ficar de ressaca, por exemplo). Aliás, eu nunca fui feliz por mais de três dias em toda a minha vida. E está sendo incrível esta experiência de ser feliz por mais de três dias.

Atenciosamente,
Uma nova MULHER!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O Despertar de uma Paixão

Antes de ir pra Florianópolis curtir as praias, deixo uma postagem sobre um filme que assisti e que gostei bastante.


O filme “O Despertar de Uma Paixão” é muito lindo! Começando pela abertura, com jogo de flores e imagens da China, em tons de preto&branco e sépia.


Já havia visto este filme antes. Mas o assisti novamente como uma tarefa de casa. Estou aprendendo a ser uma pessoa de opinião própria e que questiona as coisas, não ser levada pela massa, sabendo justificar meus gostos.


Então, gosto desse filme, porque não é um filme qualquer. Ele tem conteúdo. Tem uma história com começo, meio e fim, além de ter um enredo envolvente de um casal que se casa, sendo que ele a ama e ela não o ama, casou pra ficar longe da mãe (no meu caso, casar-me-ia pra ficar longe do meu pai). Mas durante o desenrolar da história o jovem casal vai aprendendo coisas e descobrindo outras. É por isso que eu gostei do filme, pois mostra que não somos perfeitos, que somos humanos, que aprendemos com o tempo e com as experiências, às vezes, aos trancos e barrancos, mas aprendemos. E que com o passar dos anos descobrimos coisas que nem suspeitávamos, até mesmo sobre nós mesmos. Como por exemplo, amar alguém que a princípio não amávamos ou o contrário também, pode acontecer, pois as pessoas estão em constante mutação. Elas mudam. E é aí que mora o perigo, ou não. Só sei que o ser humano é um animal complexo!

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

À quem me ensinou a viver

Aí vai uma homenagem a um amigo muito querido que me ensinou que não preciso ter medo de crescer, de ser quem sou, de não aceitar tudo o que me dão ou me ensinam e a questionar.

Paz e Amor
Nenhum De Nós

Chame a família
Avise o tio e o avô
Hoje todos vão saber
Que a sua garotinha se casou

Proibida Escondida
Muito jovem pra escolher
Sua mãe quase desmaia
E seu pai diz que quer morrer

Eu já fui seu namorado
Por isso ela me chamou
Para que eu fosse testemunha dessa história
Que seja linda como um dia foi a nossa

Com flores na cabeça
Nossos pés descalços
Nossa vida toda de
Paz e amor,paz e amor...paz e amor.

Avise a vizinha
Mande chamar o seu irmão
Eles tem que conhecer
A sua mais nova paixão

Um estudante dependente
Da mesada de seu pai
Um garoto com os braços tatuados
E por você perdidamente apaixonado

Com flores na cabeça
Nossos pés descalços
Nossa vida toda de
Paz e amor, paz e amor... Paz e amor

Bolha de sabão

Queria poder esquecer.
Queria viver na ilusão.
Queria apenas flutuar.
Queria não pensar.
Queria não me importar.
Queria apenas ser feliz.
Queria ser uma bolha de sabão.

Carina Freitas da Rosa

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

3 anos de blog!


Meu blog fez aniversário dia 2 de fevereiro e eu nem lembrei! Aliás, eu nunca lembro! No dia 2 de fevereiro deste ano este blog fez 3 anos de existência! Uhull! \o/ Tenho que marcar esta data na minha agenda pra não esquecer! Hahahaha! XD Faz parte esquecer!

Happy Valentine's Day


Não havia entendido porque no resto do mundo se comemorava o dia de São Valentim (dia 14 de fevereiro) como sendo o dia dos namorados, enquanto aqui no Brasil se comemora apenas o Dia dos Namorados (dia 12 de junho). E pra mim era estranho comemorar dia de São Valentim como sendo Dia dos Namorados. Afinal, quem foi São Valentim?


São Valentim foi o santo que foi contra as ordens do imperador Cláudio II, que proibiu o casamento durante os períodos de guerra, pois o imperador acreditava que os jovens solteiros, além de se alistarem com maior facilidade por não apresentarem família, lutavam melhor nas guerras. Mas mesmo assim Valentim continuava a celebrar casamentos segretamente. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, jovens lhe mandavam flores e cartas dizendo que ainda acreditavam no amor. Durante seu carcere, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Valentim foi decapitado em 14 de fevereiro de 270.
Por isso que em muitos países o dia de São Valentim é considerado o Dia dos Namorados! No entanto, as origens deste santo não são claras e a dúvida persiste em saber a qual dos santos se refere este dia, pois existem dois São Valentim. E ainda há especulações que este santo nunca existiu. Mas para que a celebração cristã absorvesse a data da festa pagã em homenagem a Juno, deusa da fetilidade e do casamento, o Papa Gelásio I decidiu instituir o dia 14 como o dia de São Valentim.

Essa parece eu, uma boba alegre e romântica!

Para mim não importa se o santo existiu ou não existiu, o que importa é comemorar não só no dia dos namorados o amor que se sente pela sua "cara-metade", mas sempre. Aliás, não só pelo amado, mas por você mesmo, pelos amigos e familiares.
E no Brasil é comemorado no dia 12 de junho, pois antecede o dia 13 de junho, dia do Santo Antônio que é conhecido como santo casamenteiro, coitado! Pelo que eu ouvi falar de alguns padres não tem nada a ver! Então, vamos parar de colocar o podrezinho de cabeça pra baixo ou cheirando a parede! É por isso que pra mim nunca deu certo, rezava pro santo errado! Quando parei de rezar começou a melhorar. Pelo menos no ano passado. Vamos ver este ano no que vai dar.

Bom, hoje fico por aqui: HAPPY VALENTINE'S DAY FOR YOU ALL!

Para saber mais:
* História de São Valentim
* Dia dos Namorados
* São Valentim

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Já liguei muito

... para o que pensam sobre mim, não dei opinião por medo de ser discriminada, já me calei em momentos que queria falar tudo que tinha vontade. Já tive vergonha das minhas atitudes, já sorri forçado só para não me acharem indiferente, já escrevi inúmeras cartas de amor, mas nunca tive coragem de entrega-las, já sonhei absurdos, já não sonhei, já me magoei com uma pessoa que nunca pensei em me magoar, já me decepcionei inúmeras vezes com apenas uma pessoa. Já me arrependi das coisas que não fiz, que por medo de acontecer algo que me prejudicasse, apenas fiquei na vontade, já tive orgulho de mim mesma por ter entregue um trabalho de escola que fiz em menos de cinco minutos, já me arrependi de ter amado demais e ter recebido em trocas, apenas lágrimas.

Comunidade do Orkut "Já liguei muito".

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Filme Cisne Negro


Hoje, na sessão das 19h10, vi o filme Cisne Negro com a Natelie Portman. O filme é muito imprescionante. Fantástico! É fabuloso! O filme abre espaço para muitas interpretações. Como tenho a mente fértil, pensei em várias interpretações diferentes. Mas escolhi, para escrever a mais sensata.


Conta a história de uma garota, Nina Sayers (vivida pela atriz Natelie Portman), que sofre grandes pressões para ser uma excelente bailarina, tanto pela mãe Erica (Barbara Hershey), que incentiva a ambição profissional da filha, quanto pela própria profissão dela, pois as bailarinas devem sofrer pressão. Pressão que vem das colegas de trabalho e dos professores. Tudo tem que ser perfeito. E é dessa perfeição que o filme dá enfase, pois perfeição demais, assusta. Gera conflitos.


Pressão demais externa, acaba criando pressão demais interna. Existe muita pressão causado por fatores externos para uma perfeição inexistente, pois a mídia lança imagens todos os dias do que seria um corpo perfeito, um comportamento perfeito, uma vida perfeita, que acabamos pensando que somos um lixo, que somos feios, que não temos uma vida boa... Enfim, que não somos perfeitos e nem nossas vidas! Assim não somos felizes, não sendo felizes temos que comprar e consumir algo que nos encaixe no padrão "perfeito" da sociedade. Por exemplo, mulheres colocando silicone nos seios ou em qualquer outra parte do corpo. Mas isso é um outro assunto que transcorrerei no meu blog Preconmoda, por isso envolve beleza estética e consequentemente moda e preconceito, que é o assunto desse meu outro blog.
Continuando... O filme é muito bom, pois mostra a conseqüência das pressões que sofremos todos os dias. No começo, vemos a pressão nos outros, os outros são os culpados. Mas, por fim, acabamos sendo nós mesmos os causadores de nossas angústias, medos, frustrações, incertezas, dúvidas, tristezas. Acabamos por nos destruírmos e isso acontece aos poucos, mas só nos damos conta quando já estamos a beira do precipício. E aí, ou a gente pula ou muda de rumo.

Síndrome da perfeição

"Você é daqueles que no trabalho sempre acha que poderia ter feito um pouquinho melhor, mesmo tendo se dedicado de corpo e alma a um projeto? Ou revê, revê e revê a tarefa realizada e continua encontrando detalhes a serem aprimorados ad infinitum? Então, talvez você, como muitos outros, sofra da síndrome da perfeição".
Pelo fim da síndrome da perfeição

Comecei esta postagem com este trecho, porque me identifiquei com ele. Eu nunca estou satisfeita com que eu faço e depois continuo encontrando detalhes a serem aprimorados ad infinitum. Por exemplo, o livro que estou escrevendo "O retorno da rainha", faz uns 7 anos que estou escrevendo-o, mas nunca o termino, porque sempre acabou mundando o início da história. Nunca estou contente com que escrevo. Mas eu ainda tenho esperança de que um dia eu finalmente consiga terminar!
Ah! E coloquei o link da repostagem que eu tirei o trecho, mas não gostei do artigo, porque não fala o que eu queria que falasse. No final, ao invés de dizer alguns passos para melhorar essa síndrome, ele fala sobre homeopatia. Apesar de que é interessante conhecer sobre a homeopatia que ajuda a diminuir o perfeccionismo, mas não acredito que homeopatias funcionem. Já tomei quando era mais novinha, porque eu era muito nervosa, o que ainda sou, e o nervosismo me provoca dor de cabeça. Ninguém merece!

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Liberdade, liberdade

Resolvi deixar meu instinto me guiar, pois deixei muito tempo a minha razão me guiar e veja no que deu. Decepção, tristeza, dor. Agora, deixarei minha intuição ser mais forte, não permitindo que os outros controlem minha vida. Meu visual é eu que controlo. Minha vida é eu que controlo. Vamos ver se consigo de agora em diante, porque já escrevi algo parecido várias vezes. Agora esta na hora de colocar em prática e não desanimar na primeira barreira.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Frase

"Recordas as memórias mais intensas da tua vida, choras porque tens saudades, ninguém entende, pois só tu conheces o sabor das tuas recordações. Fazes planos a tentar substitui-las, sempre tentativas falhadas, mas não desistes. Guardas essas memórias como fotografias, insubstituíveis e eternas. Porque o que ficou gravado naquele momento, jamais poderá ser apagado." (autor desconhecido)