terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Fim do ano de 2009

Neste ano me aconteceram coisas maravilhosas que só tenho a agradecer a Deus. Porque aprendi a me desapegar aos amigos e a não esperar muita coisa deles. Para quem não sabe (o que é todos, porque nunca disse isso a alguém, só ao meu diário), vivia esperando que meus amigos fizessem coisas para mim como dar um ombro amigo do tipo vir até aqui em casa para enxugar minhas lágrimas, ou escrever uma carta com o próprio punho só para eu ter a alegria de receber uma carta que não seja contas a pagar (apesar de não receber muitas coisas, porque ainda sou dependente dos meus pais), ou uma festa surpresa de aniversário. Coisas desse tipo. Queria sempre que eles me notassem. Que perguntassem: "por que estás triste?". Queria poder me abrir com eles e contar-lhes meus segredos mais íntimos (ou talvez não tão íntimos). Quero ser eu mesma na presença deles e penso que no ano que está nascendo 2010, vai ser o ano que as pessoas me verão diferente. Assim seja!
Como aprendi a não esperar muito dos meus amigos, estou recebendo de alguns deles um carinho especial que nunca havia recebido antes e estou maravilhada. Isso mexe muito conosco por dentro. Dá um novo animo. Um novo sentido a vida. Fora que aprendi a ser mais humilde, estava precisando disso. E também, a não julgar as pessoas pela aparência e nem pelas condições financeiras.
Também aprendi a dar mais valor a minha família. Puxa! Eles sempre estiveram ao meu lado, sempre me deram tudo que eu precisava e queria. Até festa surpresa de aniversário eles fizeram à mim. Eles são especiais, apesar das constantes brigas. Mas toda família tem suas desavenças, porque uma família é constituída por indivíduos com personalidades e pensamentos/opiniões diferentes. Até podem se parecer fisicamente ou não, mas na mente são diferentes. E é aí que ocorrem as divergências, que nem sempre as pessoas sabem conviver.
Bom, este ano foi maravilhoso pra mim! Cresci, aprendi, desenvolvi-me melhor psicologicamente falando. Agora, estou mais forte que nunca. E vou superar barreiras e vencer desafios daqui pra frente tudo vai ser diferente!
Amém!
Então, só me resta desejar um natal maravilhoso e muito especial para todos e que o ano novo venha repleto de novas conquistas e realizações!!
FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!!
E que venha 2010!!!

sábado, 19 de dezembro de 2009

Homens X Mulheres

Estamos vivendo tempos difíceis para o amor. Os homens não entendem as mulheres, mas também não perguntam. E as mulheres não entendem os homens, e morrem de medo de perguntar, pois eles podem pensar que estamos "discutindo a relação".
E ficamos nesse enrola-rola, que não desenrola. Por mais que queremos uma pessoa, não fazemos nada. Ficamos apenas a assistir. Eu como mulher, sempre espero que o homem tome a iniciativa. Mas e se ele não tomar por ser inseguro? Vou ficar pra titia? Mas e se eu tomar a iniciativa? Ele vai pensar que sou fácil, que sou atirada, assanhada, desavergonha. Padrões tiranicos de uma sociedade puritana.
Um dia numa balada, um ex-ficante (agora) de uma amiga, disse para ela: "a gente nunca dá pra quem a gente quer". O que acontece com esses homens? Parece que estão cada vez mais inseguros com relação a nós, mas porque isso acontece? Muitos podem culpa a independencia da mulher, mas não tenho certeza que esta seja realmente o problema. Penso que o homem não sabe a muito tempo como cortejar uma mulher. Tudo bem que com o passar do tempo tenhamos ficado um pouco mais exigentes, mas como os anos mudam, as mulheres se adaptam aos novos tempos e a pós-modernidade. A evolução. Mas e os homens? Estão preparados para os novos tempos? Alguns poucos estão, mas a maioria não. E esses poucos ou são gays ou são comprometidos (seja namorando ou casado).
Então, volto a frisar, está cada vez mais difícil criar uma relação a dois nos tempos de hoje, sendo a insegurança, a falta de diálogo, a qual ocorre há milhares de anos. Homens e mulheres parecem que nunca se acertam, é por isso que não se entendem. Um parece ter medo do outro.

Não é exigência, é amor próprio

Estava conversando com uma amiga muito querida hoje, que me fez refletir. Por isso que adoro conversar com os amigos, eles sempre tem algo a dizer de experiências próprias que são magníficas e sempre podemos aprender com isso.
Apaixonar-se e namorar, assim como casar é uma coisa séria. Não se deve levar na brincadeira, pois podes se machucar. É bom sempre ir com calma e ter certeza das coisas, porque depois ela nunca volta a ser o que era. Não adianta querer ser apenas amigos, depois de uma história de amor, ainda mais quando você vê a pessoa que você "amava" com outra, exatamente como era com você. Nunca mais vai ser a mesma coisa.
Devemos pensar muito bem em nossas escolhas. Dúvidas? Sempre existiram. Mas não dá pra viver na dúvida, de como seria ou como não seria.
Uma outra amiga me perguntou em final de novembro o que eu esperava de um relacionamento e o que isso significa pra mim. Na época não soube responder, porque estava desesperada para encontrar alguém, mas apenas para saciar um desejo alheio. Cumprir um padrão da sociedade de namorar, casar, constituir uma nova família. E pensei que isso não era um bom motivo para começar a namorar. Apenas porque os outros assim esperam que eu faça, não é um bom motivo para qualquer questão de nossa vida. Ainda mais num assunto tão delicado, quanto um relacionamento a dois.
Então, depois de pensar muito. Estou muito bem como estou. Solteira. Até que um dia meu coração bata mais rápido, minhas mãos comecem a suar e meu corpo sentir aquele arrepio. Quando finalmente souber, é esse a qual entregarei meu coração. É esse o merecedor de meu amor, porque merecerei seu amor também. Porque juntos descobriremos o mundo, o universo escondido. Descobriremos, aprenderemos, cresceremos juntos como iguais e diferentes que somos.
Apenas não quero me precipitar numa decisão importante que pode me levar por caminhos certos e seguros, mas que não me trazem felicidade e onde não há nada de novo. Enquanto posso optar por aqueles que eu mesma queira traçar, que seja inseguro e incerto, mas cheio de alegrias e aprendizado.
Dizem que algumas mulheres ou todas, são muito exigentes. Mas não somos. Queremos apenas um homem que seja confiável, íntegro, culto, inteligente, que respeite as mulheres. Ou seja, não somos exigentes, apenas temos amor próprio.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Realidade virtual

Faz um tempo que não escrevo algumas palavras. A vida é corrida e agitada. Se não tomarmos cuidado ela passa e nós ficamos para trás, defasados, brinquedos jogados fora.
Temos que correr. Estar bem dispostos. Estudar e trabalhar. Se matar para conquistar. Valorizar a beleza e cultuar o poder. Sem chances de ser livre, porque liberdade não existe.
O caminho não se constrói. Ele já fora construído. E ai daquele que ousar seguir outro, fazer seus próprios caminhos. É engolido pela massificação. É subordinado e condenado a viver na prisão.
O isolamento é a base do negócio. Egoísmo. Virtualidade destruidora. Uni, separa, esmaga. Depende do ponto de vista e da situação, a qual nos submetemos.
Nada importa. Mas tudo é importante. Vivemos a dualidade. Vivemos na realidade virtualmente criada por nós.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Estava vendo Felicity, um seriado norte-americano muito inspirador pra quem busca entender o que é a vida, e fiquei pensando no que a ex-professora da Felicity disse para ela, através de uma fita cassete – que a forma, a qual elas se correspondem, gravando o que dizem uma a outra ou invés de escrever.
Passamos anos tentando entender quem somos. Tentando encontrar um lugar em que possamos nos encaixar. Quando encontraremos a resposta? Talvez passemos a vida tentando encontrar. Talvez encontremos, mas logo perdemos, pois já não seremos mais a pessoa que estávamos procurando.
A vida e nós somos uma constante mutação que não para, nem mesmo quando partimos. Esse é o que mais me atrai na vida. A incerteza de um novo amanhã. A incerteza de quem sou. A incerteza do mundo ao meu redor que oscila sem cessar como as ondas do mar. De onde vêm essas oscilações, eu não sei. Mas são eles que movem o mundo, os mistérios. Se soubéssemos de tudo, se tivéssemos todas as respostas provavelmente viveríamos no tédio, como se todas as pessoas fossem iguais e pensassem iguais. O mundo seria uma loucura monótona e tediosa.
Cada vez que descubro algo sobre mim, este algo muda em mim. É que nem aquele ditado “quando acho que tenho todas as respostas vem o universo e muda todas as perguntas”. E é bem isso que acontece. O mundo gira dessa maneira, não dá para girar em sentido contrário. Dá para tentar girar ao contrário, mas a natureza se encarregará de trazê-lo de volta ao curso certo. Apesar de eu ser contra uma forma certa de pensar, de sentir, de opinar, de viver. Porque não existe o que seja certo e errado. Só existem opiniões que se divergem. O certo pra mim pode ser errado pra ti. E vice-versa. Às vezes, as opiniões são parecidas, semelhanças que se encontram e assim que surge a amizade e os grupos sociais, que não passam de convenções semelhantes entre os indivíduos de uma mesma sociedade.
Tudo isso me faz lembrar a caixa. Mas isto é outra história.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Entrar pra dentro de mim

Sei que deixar os problemas de lado,
esquecê-los, não vai adiantar.
Mas bem que eu gostaria de tentar
e toda felicidade, a qual puder me agarrar
vou perseguir sem sessar.
Mesmo que tenha que me esconder em mim,
farei o que estiver ao meu alcance.
Fugir, esconder, sumir, desaparecer.
Entrar pra dentro de mim
e não sair mais,
até que esteja seguro novamente
e puder recomeçar.

Carina Freitas da Rosa

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Insides

Mesmo que eu não goste de utilizar palavras estrangeiras (apesar de introduzir aos meus textos a palavra glamour), não consigo encontrar uma palavra que substitua inside. Que droga! Mas, enfim, o que quero dizer é que ultimamente estou tendo vários insides para minha carreira profissional. Apesar da idéias não serem muito ortodoxisas... Noooossa! Que grande mentira! É palhaçada a minha, só pra chamar atenção! Sabe como as pessoas gostam de exagerar as coisas. Só a história dos vários insides, a qual estou "linkando" (outra palavra que deriva do inglês) com projetos pessoais de vida, é verdadeira.
Ficaram curiosos pra saber quais são, não é?
Mas eu é que não vou contar. Como diz a Cinderela, "se eu contar, os sonhos não se realizam". Vou correr atrás e quando o projeto estiver melhor estruturado quem sabe eu não comente por aqui. De repente eu vá soltando umas pistas do que seja, apesar de que será difícil descobrirem o que passa na minha cabecinha louca. Nem eu sei, às vezes, o que se passa nela!

domingo, 16 de agosto de 2009

Quando a dor é mais forte

Por que sentimos esse tipo de dor?
Seria bem mais fácil se ela não existisse.
Por que ela existe?
Não faz sentido.
Ela só nos mata por dentro.
Ou será que ela nos alerta de que algo está errado?
Mas o que está errado?
Eu queria saber.
É como um grande vazio.
Não é como, é um grande vazio.
Um vazio que não parece ter fim.
Sem fundo. Sem base. Sem alicerce.
É como descobrir que
tudo em que você acreditava
nunca existiu.
Sonhos despedaçados,
perdido no mundo,
sem saída,
sem algo que não sei bem o que é.

Carina F. da Rosa

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Dúvidas, medos

Às vezes, fico me perguntando se sou uma escritora. Se escrevo, no mínimo, razoavelmente bem ou se estou apenas extravasando uma necessidade de me abrir, de desnudar-me ao mundo.
Às vezes, fico me perguntando se sou realmente uma mulher ou se sou um homem em corpo de mulher. Talvez esteja sendo boba.
Adoro conversar com as mulheres, mas são os homem que realmente me atraem. Seu mundo é um mistério para mim. Um mistério atraente e excitante. E ao mesmo tempo que sinto atração, sinto medo. Tenho medo deles. Do que eles podem fazer ou representam. Ameaça? Quem sabe?
Ao longo da história fomos sempre reprimidas, estupradas, pisoteadas, desprezadas pelos homens, a tal ponto de nos revoltarmos, acompanhado pelo medo. E o medo mata, destrói, corrompe e transforma uma pessoa racional em irracional. Antes que me torne uma pessoa assim, fujo. A melhor maneira que encontrei, é a fuga. Mas não é a melhor maneira. Talvez fosse melhor enfrentar o medo.
Medos. Tudo imposto a nós. Não nascemos com eles. É colocado em nós. Como um presente de grego. E como vencê-los? Tem gente que consegue. Mas se não consegues, faça como o ditado diz: "se não pode com ele, junte-se a ele". Um dia quem sabe...?

sábado, 27 de junho de 2009

Medo de mudanças

Estava lendo o livro "Quem mexeu no meu queijo?" de Spencer Johnson que acabei de adquirir. No livro fala sobre quatro tipos de pessoas e como elas reagem a mudança. Cada uma reage de uma forma diferente. E conhecendo a história, acabamos rindo de nós mesmos, porque percebemos que "eu não era Sniff, eu não farejava a situação e nem percebia a mudança cedo. E eu certamente não era Scurry, pois não agia imediatamente. Eu era mais como Hem, que queria ficar em território conhecido. A verdade é que eu não quis lidar com as mudanças", mesmo enxergando que elas eram necessárias. Daí, nos damos conta do quão bobos somos. Agimos de forma a complicar as coisas, mas, na verdade, as coisas são muito simples.
Agora, só tenho que deixar meus medos de lado e praticar o que o livro ensina. Apreender o ensinamento e não apenas aprender.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Liberdade, loucura, vida

"Tem um não sei o quê em mim que se vê inteira dentro da letra, eu começo uma espécie de 'vivenciar' aquele sentimento, e quando vejo, não sou mais eu, ou sou eu mesma com todas aquelas dissonâncias." (Capítulo 2, por Clotilde Zingali: IARA E AS DÚVIDAS, sempre elas.)
Engraçado! Sou assim a maior parte do tempo. Perco minha identidade assim que vejo um filme, escuto uma música, presencio uma peça de teatro, ou quando estou com outras pessoas. Quando estou sozinha, sou eu mesmo. Penso que é a única hora que posso ter essa liberdade de ser eu mesma. De pensar, agir, falar, sonhar como quero, como gosto de ser sem que os OUTROS venham com suas opiniões sujas ao meu respeito.
Gosto de ser livre! Gosto da sensação de estar livre. É como se eu pudesse sair voando a qualquer momento, a qualquer hora. É uma sensação maravilhosa! É como se eu me conhecesse e ao mesmo tempo, não soubesse quem sou. Sei que não é lógico o que estou escrevendo e se é sensato escrevê-lo, não posso dizer. Talvez esteja ficando louca. Mas a vida é louca. E o que seria a loucura?
Para as pessoas loucura é sinonimo de ideias, criatividade, felicidade... Só uma pessoa louca pode ser feliz num momento como este. Só uma pessoa louca para ter uma ideia dessas. Só uma pessoa louca para criar o que criaste. Neste contexto, posso ser considerada louca. Uma pessoa inteiramente louca, vividamente louca.
Mas será que louco não é aquele que mata sem dó nem piedade, rouba sem ser por necessidade de se alimentar, estupra como se fosse um ato prazeroso, polui a natureza como se ela não fosse importante. É loucura matar a si próprio e aos outros pouco a pouco, lentamente num processo de anos, até que todos tenham perecido por falta de água, ar e comida.
Loucos são aqueles que não querem ver. Loucos são aqueles que gostam da miséria e da pobreza que habita em suas mentes vazias. Loucos são aqueles que tem medo e usam da força para se defenderem, sendo que o medo termina quando se conhece mais sobre aquilo que lhe causa o medo. Loucos são aqueles que não dão a mínima para os outros e o meio ambiente. Loucos são aqueles mal-educados, que não querem nada com nada, que ficam atormentando a vida das outras pessoas, tentando meter medo como se isso emposse respeito. Loucos mesmo são aqueles que pensam que os outros são loucos, mas não olha para seu umbigo.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Feriadão? Que nada!

"Que bom! Feriado! Poderei descansar!"
Doce ilusão! Trabalharei em dobro. Muitos trabalhos da faculdade, muitos eventos em minha cidade, muitos amigos para curtir, muitas festas para ir, muitos agitos para viver. E o feriadão se foi. Ter muita atividade junta num único feriado é deixa a gente mais cansado. Apesar de que o feriado ainda nem começou. E nem vai começar para mim, como vocês podem ver. Por que será que quando pensamos em descansar, vem nosso lado social e programa mil e uma coisas para se fazer? Penso que é uma forte vontade de me deixar louca e estressada e ainda mais cansada do que já estou.
Tenho que parar com isso. Tenho que economizar, porque este mês já gastei demais. Gastei mais do que eu tinha. Quero dizer, não cheguei a tanto, ainda tenho uma boa graninha. Mas se eu continuar a gastar desse jeito, não terei dinheiro para colocar na poupança que está um pouco desfalcada.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Coração fala em chorar

A chuva escorre,
Molha a face.
Nublados são os dias,
Cinza como a floresta.
Transcorre o pesadelo.
A lástima ficou pra trás.
A vida pouco importa.
Pieguices, meras palavras.
Sussurros ao longe.
Chuva invertebrada,
Quebrando o silêncio.
Cicatrizes da alma.
Escuro ficou o tempo.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Vida contida

Vida contida
autora: Carina F. da Rosa

Verdades e mentiras,
Caprichos e desleixos,
Vontades e preguiças.

Vida contida,
Desejos apaziguados,
Sonhos destroçados,
Sentimentos reprimidos,
Objetivos não concluídos.

Existência doce existência,
há de me acordar um dia,
há de me despertar
para um novo amanhã.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Blog da Mandahh

Hoje, tirei o final da tarde para ler o blog da Mandahh, minha querida amiga que está morando em Londrina - PR e eu continuo morando em Joinville - SC. Nossa! Não sabia que a Amanda escrevi tão bem, mas também quando se coloca o coração numa coisa, sai maravilhosa!
Segue abaixo os comentários que deixei em seu blog:

Mandaah... Então somo duas... =\ Como sair dessa? Nem eu sei... Ainda estou procurando respostas e a escrita tem me ajudado bastante, além das leituras periódicas e o teatro.
Beijos =**

É tão desesperador e triste esta situação... Mas vamos vencer, não é?
Beijos =**
Eu queria a pessoa que eu menos espero para me ajudar a levantar, mas nem isso eu tenho... Só me sobra ajudar a mim mesma, e até isso é difícil.
Beijos =**
Bola pra frente! É o que sempre digo a mim mesma, mas sei que não é fácil... E não é mesmo! Já caí tantas vezes nessa vida... Estou cansada disso, mas continuo lutando, continuo vivendo, continuo batalhando, esperando que um dia seja tudo diferente, que tudo mude e seja mais alegre e iluminado. Mais brilhante. Que a vida seja recompensadora no final.
Beijos =**
Sinto sua falta, Mandah!
Que lindo mandaah! Vai seguir meu exemplo e se tornar uma grande escritora? Pelo menos é isso que quero ser. Mas sabe, é estranho como nossas vidas estão tão parecidas. De repente seja por isso que somos amigas, porque somos parecidas. Sentimos as mesmas coisas parece. Estou no momento me sentindo perdida, não sabendo que caminho seguir, a música me ajuda muito, além do que já te escrevi antes em outro comentário. Mas não resolvem meus problemas existenciais, só atrasa e retarda sua resolução, mas pelo menos me sinto viva por um instante que seja, quando escuto a música e danço, danço até ficar tonta, até não ter mais forças, até a pressão baixar e eu quase desmaiar, sem ar.
Beijos =**
Espero que tudo melhore pra ti! Que as coisas mudem para melhor, pois amanhã será um novo dia.
Mandinha, meu amor, sempre a como reanimar um neurônio... A ciência descobriu que nosso cérebro cria novos neurônios a partir de exercícios físicos. Então, amiga, faz que nem eu, caminho meia hora por dia, do SENAI Norte até minha casa à pé, depois da aula. Isso ajuda a colocar os neurônios no lugar e reativar o ânimo e liberar endorfinas, hormônios responsáveis pelo prazer. É só o que posso dizer, eu acho. Se você precisar de alguma coisa, qualquer coisa é só dizer. Beijos =**

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Estou VIVAAAA...

Hoje só quero agradecer a Deus por eu existir e por ser tão especial de um jeito mágico e maravilhoso. Um ser de luz que me apoia e me dá forças pra continuar lutando, a seguir em frente, a superar obstáculos, a superar meus próprios limites. É tão bom poder sentir novamente que estou viva... Porque não sabem o quanto é triste e deprimente se sentir morta, um fantasma que ninguém nota, ninguém percebe, ninguém sente falta, que ninguém ama ou gosta. Se sentir sozinho como se ninguém pudesse ajudar, porque nem ao menos você sabe como pedir ajuda, mas quer que os outros percebam que você está precisando, que está sentindo falta de algo que desconheces. Às vezes, nem sei porque estou triste, na foça. Só sei que estou. Mas hoje está um lindo dia... Um dia agradabilíssimo! Um dia alegre e cheio de vida. VIVA A MINHA VIDA!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Tempo acelerado

O tempo acelerou seu ritmo habitual. Não se tem mais tempo para parar pra pensar, nem ao menos pra se conhecer melhor. Então, acabamos por passar por essa vida sem termos vivido realmente, porque uma pessoa que morre sem saber quem é, sem compreender suas próprias ações e pensamentos, não viveu, porque vivemos para aprender a cada dia um pouco mais sobre nós mesmos.
O que queremos desta vida? O que ela representa? Ela consiste em apenas estudar e trabalhar? Eu penso que não. Por isso, sigo meu próprio tempo, respeitando-me. Descobrindo meu mundo. Desvendando meus mistérios, a qual ninguém quer descobrir.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Pensamentos soltos de uma mente incompleta

Fujo do meu eu singular, mas ele me percegue numa estranha corrida. Não sei quem vai ganhar ou se conseguirei escapar de mim por mais tempo, já fiquei tempo demais longe, só sei que vivo em constante mutação.
As palavras brotam em minha mente. É como Clarice Lispector descreve em seu livro "Água Viva". É como se alguém dentro de mim ditasse as palavras à minha mão, onde ela tenta escrever cada palavra dita, passando-a ao papel.
Sinto-me como um fantasma. Uma estanha no ninho. Ninguém me vê. Ninguém me percebe. Ninguém me conhece. Não existo. Quem sou, o que sou, ninguém jamais ousou saber.
Sou o sonho frustrado. O pranto nos olhos. A água que escorre. O fantasma que passa e ninguém olha, ninguém dá bola. E por que darião? É apenas um fantasma. A sombra da ilusão passageira. Algo que não deve-se levar a sério. Um encosto que só atrapalha, encomoda. Um peso a mais na bagagem do mundo.
Uma figura triste, sem vida e vazia. Sem rumo, sem direção, sem amor.

domingo, 10 de maio de 2009

Dia das mães 2009

Eu não sabia o que dar de dia das mães pra minha mãe. Então, resolvi perguntar a ela.
Claro, que ela ia dizer que não queria nada, o mais importante pra ela é receber presente no aniversário, não no dia das mães ou no natal.
Penso que ela tem razão, porque o sentido do natal não é o presente, e sim, a confraternização e a reflexão. E dia das mães é legal dar qualquer coisa confeccionado por si mesmo, porque é mais importante  mostrar que tu se importas com sua mãe do que comprar um presente caro que nem sempre diz o que queremos e nem mostra o que sentimos.
É muito fácil comprar alguma coisa já pronta, mas fazer algo com as próprias mãos teve trabalho, disposição, tempo, empenho e carinho, a qual são coisas que minha mãe sempre dá a mim. Então, não custa nada no seu dia, ao invés de lhe dar um presente caro, fazer-lhe o café da manhã bem gosto. E foi o que fiz.
Levantei cedo, peguei uma receita de bolo de fuba na internet e fui lá fazer pela primeira vez, hoje, pela manhã. Quando minha mãe chegou da missa e sentiu um cheirinho gostoso de bolo quentinho no forno, ela ficou em júbilo. E isso é o que mais toca uma mãe, no seu dia ser reconhecida pelos seus esforços pelos seus filhos e saber que é amada por eles.
Mãe, amo-te e sempre te amarei!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Paixão que se esconde

Estou num momento delicado, onde não tenho vontade de fazer as coisas, mas ao mesmo tempo quero fazê-las. É uma desanimação e uma animação interior complicada de se entender. Por um lado estou animada, por outro desanimada. A vida é confusa assim mesmo? Talvez não. Talvez seja eu complicando tudo, só pra variar. Mas o complicado é descomplicar, porque a complicação por si só já é complicada, imagine querer descomplicá-la. Aí, ficou complicado de vez.
Mas toda essa complicação vem de um único sentimento. Paixão. É uma droga estar apaixonada e não saber como lidar com a situação. Uma hora quero gritar para os quatro ventos. Noutra quero ficar com este sentimento guardado apenas para mim. Medo? Com certeza. Tenho medo que a pessoa amada saiba que eu a amo. Porque tenho medo de sua reação. Se será boa ou ruim, não sei e tenho medo de descobrir, mas ao mesmo tempo quero saber qual reação seria.
Ó dúvida cruel! Que me consome e me corrompe por dentro. Que me desola em minha solidão eterna e degastada pelo tempo que decorre sem dó nem piedade. Apesar de meu rosto e corpo parecerem ainda mais jovens do que a própria juventude. O que desperta desejos escondidos nos homens e o meu próprio desespero e medo de ser falsamente amada.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Correria pra variar

Fim de bimestre é uma loucura. Muitos trabalhos e provas, apesar de que meu curso tem mais trabalhos do que provas. Mas cada trabalho é uma dor de cabeça e noites mal dormidas. Mas agora está acabando o primeiro bimestre e na semana que vem, penso que terminarei os meus trabalhos e provas. Fora que terminarei a auto-escola. Na quinta-feira, no período da manhã, terei a prova prática do DETRAN.
Nossa! Depois que entreguei o trabalho de costura, ontem, fiquei MUITO aliviada. Até dei pulos de alegria! Foi uma sensação maravilhosa! Queria sentir esta nostalgia novamente. Bom, é só eu sair da frente do computador e fazer os tabalhos que ainda faltam. Mas hoje à tarde, depois da aula da auto-escola, resolvi descansar pra aula hoje à noite, que como não vai ter as duas primeiras aulas (que eram de sociologia), porque a professora foi viajar através do mestrado, combinei com minha amiga de nos encontrarmos na biblioteca para adiantar o trabalho de ergonomia, que é pra terminar na aula hoje e entregar.
Falta pouco! Agora vou me mexer, que o tempo urge.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Amigas antigas

Como eu queria rever minhas antigas amigas. Aquelas a qual dividi parte de minha infância. Mas depois de algum tempo separadas pelas circunstâncias da vida, consegui reencontrá-las e reuni-las uma vez mais aqui em casa. Estou tentando fazer com que nos vejamos mais, só que está difícil. Talvez não seja o bastante. Talvez eu só quisesse buscar um sentimento de minha infância. Coragem. Aquele sentimento de felicidade, a muito perdido, e a despreocupação, sem medo de ser feliz, sem medo do que os outros vão pensar.
Fui egoísta querendo reunir minhas amigas novamente. Agora sei que é impossível. Nossos caminhos mudaram. Nossos sonhos e objetivos são muito diferentes. Seguimos caminhos opostos que não se cruzam mais. Talvez fosse melhor deixar as coisas do passado, no passado, e não tentar mais revivê-las, porque como diz uma música do Maná, “o passado já passou”.
Se é o fim de nossa amizade, ninguém terá a absoluta certeza. A única certeza que tenho são as lembranças de minha infância, a qual volte e meia torno a me recordar como num sonho distante que se passou há muito tempo.
Então, simplesmente deixá-las-ei seguir o curso de suas vidas e eu seguirei o meu. Parar de tentar trazer as pessoas do passado e de voltar pra lá. Seguirei minha vida sem elas, porque, de certa forma, elas não existem mais (sendo que somos seres vivos e vivemos em transformação, não somos mais o que fomos ontem).

quarta-feira, 4 de março de 2009

Novidades do começo do ano de 2009

Passei e muito bem passado na prova teórica do CIRETRAN. Tirei 9,75. De 40 questões acertei 39. Mais do que eu esperava. Agora só faltam as aulas e provas práticas.
Bom, as f'érias acabaram... Isso é triste e legal ao mesmo tempo. É legal, porque já estava cansada de ficar em casa sem fazer nada e sem saber das minhas amigas. E é triste, porque não terei tempo para fazer muita coisa. O que estou querendo dizer é que este ano estarei cheia de coisas pra fazer, quase sem tempo para pensar direito. Vou ter que apelar a minha intuição e aos meus instintos.
As aulas no SENAI começaram dia 09/02 e eu estou fazendo lá o curso de Confeccionador de Moldes e Roupas para ser um acréssimo a minha formação acadêmica.
As aulas na universidade também iniciaram, só que mais tarde. Nesta semana para ser mais precisa.
Nooooossa! Nem imaginava que estava com TANTA saudade assim das aulas, dos professores e, principalmente, dos amigos. Foi uma surpresa pra mim, eu não fazia idéia. Isso explica tudo - estou falando de alguns acontecimentos, PARTICULARES, nas férias de janeiro.
Além das aulas de Conf. de Moldes e Roupas - que se realizam de segunda a sexta das 8h ao 12h - e de Design de Moda - que se realizam de segunda a sexta das 19h as 22h30 - terei aula de conversação de italiano - que começaram semana que vem e se realizaram toda terça e quinta a tarde, não lembro o horário - e as aulas práticas de direção - que foram marcadas para abril. Fora ainda o teatro e o grupo de jovens, ambos no sábado - o teatro é a tarde e o grupo de jovens no final da tarde.
Bom, essas são as minhas novidades para este começo de ano, que já começaram agitadas.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Auto-ajuda

Estou lendo o livro "Você pode curar sua vida" da Louise L. Hay e estou descobrindo umas coisas interessantes sobre mim. MUITO interessantes mesmo. Estou olhando bem dentro de mim e percebendo traumas de infancia que atrapalham minha vida amorosa desde aquela época. Engraçado? Penso que não! Principalmente, porque, talvez, eu pudesse estar namorando agora, neste exato momento e graças a um acontecimento passado, estou encalhada. Mas será o Benedito? Coitadinho do Benedito, ele não tem culpa de nada!
Bom, pelo menos agora sei o que tanto me incomodava. Vamos ver se minha vida amorosa melhora.
Ah! Mas não vai pensando que é só minha vida amorosa que melhorará, não! Porque também descobri outras coisas sobre minha pessoa. E estou melhorando, crescendo e aprendendo a cada dia uma coisa nova sobre mim que é MUITO interessante. Mas os detalhes deixo para meu diário manuscrito. Oras, tenho que manter minha privacidade intocada!

Mudando de assunto...

Estou fazendo algumas entrevistas com minhas amigas para colocar em meu blog de entrevistas, porque por enquanto ele está zerado. Mas em breve espero ter entrevistas suficientes para postar um por mês.
Meu site oficial está ficando bom, estou atualizando esporadicamente. E espero logo, logo ter terminado ele, apesar de que algumas coisas terei que atualizar a cada mês, com certeza! Mas eu gosto, não posso mentir dizendo que não.
Ui! Amanhã será minha prova teórica no CIRETRAN, estou nervosa! Eu estou estudando fazendo uns simulados no site Portal do Trânsito e relendo a matéria. Boa sorte pra mim!
Beijos carinhosos! =***

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Metas 2009

Estava e estou tentando escrever metas para mim, mas está difícil. Por que será que isso é tão complicado? Talvez eu não esteja fazendo direito. Também, metas para ao longo da vida é meio complicado. Agora consegui escrever para este ano. Tem bem pouca coisa, mas isso é o essencial para este ano. Engraçado, né? Todo começo de ano é a mesma coisa, a mesma ladainha de sempre. Metas, metas, metas e mais metas para o novo ano que está chegando ou que já chegou! Cômico clichê!
É mais ou menos o seguinte, as minhas metas para este ano...
Metas para 2009:
1) Terminar de escrever “O Retorno da Rainha”;
2) Fazer o curso “Laboratório de autoria” no SESC;
3) Criar e produzir bolsas e outros acessórios para vender em meu site oficial;
4) Arrumar e atualizar todo mês meu site oficial;
5) Assistir mais peças de teatro;
6) Participar de oficinas gratuitas da AJOTE;
7) Criar muitas e muitas coisas;
8) Ler os livros Sushi, Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse, Aprendendo a ser TopModel, O Aprendizado de Pequena Árvore, O Mundo de Sophia, Um Passe de Mágica, Dom Quixote, Laços Humanos – A marcha do tempo 2, O Nome da Rosa, O diário roubado, A coragem de criar, etc.
Bom, seria isso!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Casa-terra, mãe-natureza

A natureza é como a nossa mãe. Faz todas as nossas vontades, dando-nos tudo do bom e do melhor. Dá-nos também sua vida por nós. E como lhe agradecemos? Sujando sua casa. Aliás nossa casa, dela e nossa. Mais dela do que nossa devo dizer, porque é ela que cuida de tudo, que limpa nossa sujeira, sem receber ao menos obrigado. Quando a terra está suja, ela pega o aspirador de pó com a potência de um furacão. Quando os rios estão sujos, ela joga água, mas tanta água que varre tudo em seu caminho. Quando ela fica doente, ela começa a temer. Dependendo do grau de febre ela treme pouco ou muito. Às vezes, com grandes crises e gigantes ondas de furia, derrama longas lágrimas de dor. Quando está estressada e cansada de ver tanta coisa ruim acontecendo com seus filhos e sua casa, ela explode num grande rio de fogo.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Férias Joinville

Primeira vez que escrevo este ano em meu blog, poderia ter escrito antes, mas estava com preguiça e não sabia sobre o que escrever. E depois de umas férias em Floripa, agora vou curtir o resto das minhas férias em Joinville. Mas parece-me que não terei descanso, pois esta semana já se iniciam minhas aulas teóricas na auto-escola. Vou aprender a dirigir. Que perigo! Huauahuahuau!
Nessas férias terminei de ler "Um Homem Quase Perfeito" de Richard Russo, a qual achei maravilhoso. Não havia lido um livro que se passa na cabeça de um homem e eu achei maravilhoso, pude entender um pouquinho de como funciona a mente dos homens. Também li o livro "Princesa Mia" o nono da série O Diário da Princesa de Meg Cabot. Maravilhoso! Apesar de algumas pessoas não gostarem de best-sellers, eu adoro! São livros que chamo de lights, porque normalmente os leio nas férias para me distraírem um pouco, pra mim rir das situações que as personagens se encontram. Agora, hoje de manhã mais precisamente, comecei a ler "Melancia" de Marian Keyes. Ainda estou nas páginas iniciais então não tenho nenhuma opinião formada sobre ele. Apesar de que não expressei nenhuma opinião plausível sobre livro algum, da qual li.
Credo! Estou morrendo de sono, mas é sempre assim no domingo. Não entendo isso. Parece que recai no domingo todo o sono da semana inteira. E só sobra pra mim, no domingo, hibernar. Então, dêem-me licença que assim o farei.