segunda-feira, 27 de abril de 2009

Paixão que se esconde

Estou num momento delicado, onde não tenho vontade de fazer as coisas, mas ao mesmo tempo quero fazê-las. É uma desanimação e uma animação interior complicada de se entender. Por um lado estou animada, por outro desanimada. A vida é confusa assim mesmo? Talvez não. Talvez seja eu complicando tudo, só pra variar. Mas o complicado é descomplicar, porque a complicação por si só já é complicada, imagine querer descomplicá-la. Aí, ficou complicado de vez.
Mas toda essa complicação vem de um único sentimento. Paixão. É uma droga estar apaixonada e não saber como lidar com a situação. Uma hora quero gritar para os quatro ventos. Noutra quero ficar com este sentimento guardado apenas para mim. Medo? Com certeza. Tenho medo que a pessoa amada saiba que eu a amo. Porque tenho medo de sua reação. Se será boa ou ruim, não sei e tenho medo de descobrir, mas ao mesmo tempo quero saber qual reação seria.
Ó dúvida cruel! Que me consome e me corrompe por dentro. Que me desola em minha solidão eterna e degastada pelo tempo que decorre sem dó nem piedade. Apesar de meu rosto e corpo parecerem ainda mais jovens do que a própria juventude. O que desperta desejos escondidos nos homens e o meu próprio desespero e medo de ser falsamente amada.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Correria pra variar

Fim de bimestre é uma loucura. Muitos trabalhos e provas, apesar de que meu curso tem mais trabalhos do que provas. Mas cada trabalho é uma dor de cabeça e noites mal dormidas. Mas agora está acabando o primeiro bimestre e na semana que vem, penso que terminarei os meus trabalhos e provas. Fora que terminarei a auto-escola. Na quinta-feira, no período da manhã, terei a prova prática do DETRAN.
Nossa! Depois que entreguei o trabalho de costura, ontem, fiquei MUITO aliviada. Até dei pulos de alegria! Foi uma sensação maravilhosa! Queria sentir esta nostalgia novamente. Bom, é só eu sair da frente do computador e fazer os tabalhos que ainda faltam. Mas hoje à tarde, depois da aula da auto-escola, resolvi descansar pra aula hoje à noite, que como não vai ter as duas primeiras aulas (que eram de sociologia), porque a professora foi viajar através do mestrado, combinei com minha amiga de nos encontrarmos na biblioteca para adiantar o trabalho de ergonomia, que é pra terminar na aula hoje e entregar.
Falta pouco! Agora vou me mexer, que o tempo urge.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Amigas antigas

Como eu queria rever minhas antigas amigas. Aquelas a qual dividi parte de minha infância. Mas depois de algum tempo separadas pelas circunstâncias da vida, consegui reencontrá-las e reuni-las uma vez mais aqui em casa. Estou tentando fazer com que nos vejamos mais, só que está difícil. Talvez não seja o bastante. Talvez eu só quisesse buscar um sentimento de minha infância. Coragem. Aquele sentimento de felicidade, a muito perdido, e a despreocupação, sem medo de ser feliz, sem medo do que os outros vão pensar.
Fui egoísta querendo reunir minhas amigas novamente. Agora sei que é impossível. Nossos caminhos mudaram. Nossos sonhos e objetivos são muito diferentes. Seguimos caminhos opostos que não se cruzam mais. Talvez fosse melhor deixar as coisas do passado, no passado, e não tentar mais revivê-las, porque como diz uma música do Maná, “o passado já passou”.
Se é o fim de nossa amizade, ninguém terá a absoluta certeza. A única certeza que tenho são as lembranças de minha infância, a qual volte e meia torno a me recordar como num sonho distante que se passou há muito tempo.
Então, simplesmente deixá-las-ei seguir o curso de suas vidas e eu seguirei o meu. Parar de tentar trazer as pessoas do passado e de voltar pra lá. Seguirei minha vida sem elas, porque, de certa forma, elas não existem mais (sendo que somos seres vivos e vivemos em transformação, não somos mais o que fomos ontem).