sábado, 31 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011

Limpando coisas. Armários, gavetas, pastas, caixas. Recordando situações, uma vida, um momento, um espaço de tempo alegre ou triste não importa, são lembranças importantes que constroem meu caráter.
2011. Ano bom. Não tão bom quanto gostaria, mas bom. Conheci muitas pessoas diferentes. Passei a me fortalecer a cada dia, apesar do começo triste e desastroso, além de confuso, onde fiquei totalmente perdida. Agora, sei onde estou, sei onde quero chegar. Objetivos trassados para 2012. Listas prontas, agora só falta coloca-las em prática.
Este ano foi um ano intenso. Trabalhei minha emoções e sentimentos. Agora estou conseguindo me socializar melhor, conversar com as pessoas, falar sobre meus sentimentos sem chorar (apesar de que as vezes ainda meus olhos se enchem de lágrimas, mas não chego a chorar realmente). "Cresci muito, aprendi em dobro", acho que tem uma comunidade no orkut com esse título, não sei ao certo, mas como não é uma frase minha, porque já a li em algum lugar na internet coloquei entre aspas.
2011 vai deixar saudades. Parei de tomar refrigerante, aprendi mais sobre meu corpo, sobre meus sentimentos, sobre mim. Descobri minha estranha capacidade de sentir as coisas, quero dizer, eu já sabia, porem tinha medo ou não queria ouvir minha intuição. Tenho que aprender a escutá-la.

Minha vida é resumida nesta frase: "Eu quero parar com tudo isso, ele é um menino que não pode acompanhar minha louca linha de raciocínio meio poeta, meio neurótica, meio madura". — Tati Bernardi. É preciso de alguém que ser meio tudo! Meio que eu mesma!

Eu deveria agir dessa maneira: "Vai menina, fecha os olhos. Solta os cabelos. Joga a vida. Como quem não tem o que perder. Como quem não aposta. Como quem brinca somente. Vai, esquece do mundo. Molha os pés na poça. Mergulha no que te dá vontade. Que a vida não espera por você. Abraça o que te faz sorrir. Sonha que é de graça. Não espere. ... Promessas, vão e vem. Planos, se desfazem. Regras, você as dita. Palavras, o vento leva. Distância, só existe pra quem quer. Sonhos, se realizam, ou não. Os olhos se fecham um dia, pra sempre. E o que importa você sabe, menina. É o quão isso te faz sorrir. E só." — Caio Fernando Abreu.

Nenhum comentário: