sexta-feira, 13 de abril de 2012

Desabafos de uma sexta-feira 13

Faz um tempinho que não escrevo aqui. Mas faz um tempinho que tenho andado se tempo ou talvez sem vontade de fazer certas coisas que eu gostava de fazer antes. Para vedes como mudamos. A cada dia, uma nova experiência e já não somos mais os mesmos.
Esta semana até tenho andado com bastante tempo, mas o tempo anda meio traiçoeiro e quando vejo é de noite. Está tarde! Hora de dormir.
Tenho muito ideais, muitos planos. Muitos ainda na gaveta, esperando ansiosamente pelo dia em que os pegarei e os colocarei em prática.
Esta semana tive muito tempo. Mas o tempo me escorreu pelas mãos. Dor nas costas insuportável. Mal conseguia me mexer. Na primeira oportunidade - mais precisamente na segunda-feira - foi no pronto atendimento. O médico fez um exame rápido. Receitou um remédio e falou pra mim ficar quietinha naquele dia. E ainda acrescentou que o remédio poderia provocar sono.
O resto da semana foi cama, banheiro, comer, cama. Saí para ir as aulas de inglês e ir ao shopping com minha mãe. Estou precisando de roupas. Mas roupas de mulher.
Cada vez que abro o guarda-roupa e só vejo roupas daquela menininha que fui um dia, deprime-me! Claro, não sou mais ela. Mas as roupas permanecem, como um constante ativador da memória. Você foi assim. Mas, assim como? Não sei nem direito quem eu fui e muito menos que sou agora. Pareço adolescente buscando minha identidade.
Falando em identidade, tenho que renovar a minha. Fiz meu primeiro registro geral aos 9 anos de idade, quase 10. Carinha de menininha que só pensava em brincar. Estudar que era bom, nada! Só fazer amigos e brincar. Aproveitar a vida!
Agora essa menininha cresceu. Mas nem sabe direito se cresceu realmente. É talvez uns 17cm tenha crescido. Nossa! O que nos separa é 17cm de altura e 12 anos. Pouco! Pelo menos em centímetros. Em anos, até que é bastante coisa. Para uma menina de 12 anos, a vida inteira. Para uma mulher de 24, metade da vida. Para uma de 36, 1/3 de sua vida. Para uma de 48, 1/4. Para uma de 60, uma parte pequena que já se foi a muito tempo, mas que está gravado em sua memória, em sua história de vida.

Uma bela sexta-feira 13 à todos!

Nenhum comentário: