terça-feira, 28 de agosto de 2012

Falando de... Mim!

Estava lendo a postagem Shame on you! e esta outra Falando de... escolhas no blog da Melina Souza que sigo desde a metade do ano passado ou mais, sendo que este ano sigo mais fielmente. E resolvi escrever uma postagem parecida, mas não igual. Estas postagens, assim como todo o blog e a própria Mel, inspiram-me demais.
Uns dois anos atrás, eu tive um namorado que me criticava por eu ser maior de 18 anos (maior de idade, quando o conheci tinha 19 e enquanto estávamos juntos eu fiz 20) e gostar de coisas fofas, desenhos animados, contos de fadas e nas próprias fadas e musicais da Disney.
Agora tenho quase 22 (faço aniversário dia 25 de setembro, que está quase chegando!) e AMO coisas fofas e românticas, mas isso não em torna imatura/infantil. Tudo bem que faço muitas coisas erradas, mas quem não faz? E tomo as palavras da Mel as minhas: "Pelo contrário, acredito que tenho maturidade o suficiente para assumir a minha idade e não negar as coisas que gosto por medo de julgamentos alheios". Isso, inclui meu companheiro inseparável: meu travesseirinho de infância. Que já secou muitas lágrimas minhas. Um ombro amigo nos momentos difíceis. Um amigo silencioso que sempre esteve ao meu lado, cuidando do meu sono. Detalhe: não consigo dormir sem ele! #vício
Os meus bichinhos de pelúcia que todos (familiares e primeiro ex-namorado) querem que eu me livre deles, que doe para crianças que precisem mais deles do que eu. Como se eles não fossem importantes para mim! Eu sei que já estou grandinha. Mas e daí? Quem disse que adulto NÃO PODE ter bichinhos de pelúcia? Por acaso, há uma regra em que os adultos não devem ter nada de brinquedos, bichinhos de pelúcia ou qualquer coisa que "seja" de criança? Ou seja, se existisse uma regra assim, todo adulto deveria ser chato, monótono e sem criatividade. E se assim fosse, não existiria muitas coisas, como desenhos animados, que são feitos por adultos!
Meu bichinhos de pelúcia foram conquistados. Cada um trás uma história pra mim e tem um significado muito importante. Nas noites, quem velava meus sonhos eram eles. Sempre que dormia com eles (todos ou quase todos) eu nunca tive um pesadelo se quer. Quando não dormia com eles, sempre ou quase sempre, tinha pesadelo. Então, eles se tornaram meus Guardiões dos Sonhos, e amo a ideia de passar isso para meus (futuros) filhos.
As pessoas são diferentes (ainda bem!) e cada uma tem suas próprias manias e esquisitices! Não tenha vergonha de ser quem você é. "Desde pequeno nós sentimos e aprendemos que cada um tem a sua individualidade, que cada um tem seus gostos particulares" (Mel Souza).
Esse trecho da postagem Shame on you!, tocou-me profundamente: "muitas pessoas sofrem de transtornos psíquicos e, obviamente, não saem por aí com uma plaquinha dizendo 'por favor não me ofenda, eu sofro de transtorno depressivo e tenho pensado em me matar', 'cuidado! eu estou passando por uma fase difícil e tenho transtorno de personalidade borderline, não me magoe!', 'me ajude a não gastar toda a minha economia! estou em estado de mania e não consigo me controlar!'. O que eu quero dizer com isso é que nós não sabemos o que cada um está passando, se ele está sofrendo com algum transtorno psíquico, se ele não está bem. Pra que ofender gratuitamente alguém só porque algo na pessoa não nos agrada? Só pra sentir um prazer momentâneo ao falar mal de alguém?". Tocou-me, porque a cada crítica que recebia de alguém que eu amava, eu me afundava em mim e me perdia.
Claro, quando alguém que significa tanto pra nós faz críticas severas nos machuca mais do qualquer outra coisa. Quando é de alguém estranho como a Shame, a gente fica com raiva, mas depois passa. Alguém que é importante pra nós, é difícil. Mas não é impossível, eu já estou até superando. Às vezes, demora, porque depende de como está a autoestima da pessoa. E minha autoestima é bem fragilizada, apesar de que com o grupo de jovens estou encontrando uma força dentro de mim. Uma força pra melhorar e mudar isso.
Só escrevi sobre a primeira postagem que me inspirou. A segunda me inspirou mais pela questão de que a Mel descreve como dá trabalho escrever num blog. E realmente, por mais que eu goste de escrever, às vezes, eu não tenho muita vontade de pensar em alguma coisa bacana pra compartilhar aqui. Fora que tem que editar imagens e tudo mais. Por isso, tem semanas que não posto nada, ou posto uma única postagem, pois agora tenho uma coluna fixa toda sexta-feira, o The Five Friday, que é mais simples e rápida de escrever. Apesar de que tem semanas que é mais difícil pensar em coisas boas que aconteceram nela. Mas sempre tento fazer uma forcinha pra me lembrar. Então, não fiquem chateados se eu não postar nada na semana. Mas, às vezes, minha mente não colabora comigo.
Noossa! Esta postagem está gigante! E vou contar um segredinho, demorei alguns dias até conseguir um tempinho pra escrever tudo isso. E nem sei se consegui escrever ou me expressar como eu gostaria. Mas enfim, é isso aí!
Uma ótima terça-feira à todos!

Nenhum comentário: