domingo, 8 de março de 2015

8 de março - Dia Internacional da Mulher

Essa será a primeira postagem que trago do blog Falar de Moda que eu escrevi. E como já escrevi sobre o tema pra não ficar me repetindo só vou copiar e colá-la aqui. Espero que gostem!

Dia Internacional da Mulher
Por Carina Freitas da Rosa


Sexta-feira, dia 08 de março, comemorou-se o Dia Internacional da Mulher. Um dia que vejo que gera certa polêmica entre homens e mulheres.
Algumas mulheres postaram no Facebook que não se deveria comemorar este dia, porque foi à data em que mulheres trabalhadoras foram mortas queimadas dentro de uma empresa nos EUA, enquanto reivindicavam melhores condições de trabalhos. Porém, isso não é um fato verídico pelo que andei pesquisando. O incêndio ocorreu no dia 25 de março de 1911.
Alguns homens reclamam muito desse dia. Dizem que não é justo que o dia das mulheres tenha tanta evidência na mídia e comércio e o dia dos homens não (apesar de que isso está mudando). Eles argumentam que as mulheres brigaram tanto para terem direitos iguais, então que nós tenhamos direitos iguais até mesmo na data de comemoração do sexo.
Como mulher, digo que eu não quero ter o mesmo direito que o homem. Eu quero é ter o respeito do homem. Quero poder ser livre, poder pensar e opinar por mim mesma, poder votar, exercer a mesma função que o homem sem ganhar menos. É para isto que serve o Dia Internacional da Mulher, para nós lembrarmos como aquelas mulheres, que morreram queimadas na fábrica, foram silenciadas de forma brutal e que durante anos a mulher foi apenas uma sombra perante a sociedade, vivendo de forma totalmente dependente dos homens. Ela não tinha voz, não tinha vontades ou desejos, muito menos opinião.
Vejo que o Dia Internacional da Mulher foi um pouco banalizado pelo sistema capitalista e pelo machismo de alguns homens. Era pra ser, ao meu ver, uma data para reflexão. Refletir sobre os abusos que muitas mulheres ainda sofrem e muitas vezes calada. É um dia feito para os homens compreenderem e lembrarem de que a mulheres não são um mero objeto sexual, alguém para explorar a mão de obra, alguém como mera reprodutora pra colocar filhos no mundo ou alguém para ser tratada como escrava doméstica.
Eu gosto de receber os parabéns, flores ou bombons (quem não gosta?), principalmente, porque só recebo daqueles que realmente me dão valor e me admiram. Mas compreendo o que a maioria das mulheres preferiria ao invés de tudo isso. Elas prefeririam ganhar o reconhecimento pelos seus esforços diários, condições dignas de trabalho, melhor remuneração e respeito dos homens.

Para saber mais sobre a história do Dia Internacional da Mulher acesse: Conquistas na luta e no luto.

Publicado em 11 de março de 2013,
no blog Falar de Moda.

See you!

Nenhum comentário: