quinta-feira, 3 de março de 2011

Tem dias que a gente se sente...

Roda Viva - Chico Buarque

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu
A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega o destino pra lá.

Eu sei que esta música foi feita na ditaduta militar e tem outro sentido, mas não tem dias que são tão tristes que a gente se sente como quem partiu ou morreu? Sentindo-nos invisíveis, tristes, deprimidos, sem animo? Pois é assim que estou me sentindo esta semana. Sei lá, é como se eu não existisse. Apesar de que os registros (identidade, CPF, carteira de motorista, além do meu quarto, minha família, amigas da faculdade, amigas do trabalho) dizem o contrário.
Sabe quando você acorda um dia e percebe que está tudo errado? Que você deveria ter feito tudo diferente? É aí que você começa a pensar se valeu a pena, se foi correto, o que você fez este tempo todo?
É como se tudo o que ocorre ao meu redor fosse de um outro plano, de um outro mundo em que não compartilho, que não existo, que não interajo. Seria cômico, se não fosse trágico.
Nestes momentos, sempre tento cuidar o melhor possível de mim. Dou-me presentes, faço depilação, cuido da minha aparência, saio com os amigos, vou ao cinema e peças de teatro (mesmo que sozinha), abraço-me, digo a mim mesma que tudo dará certo, normalmente adiantava, mas nada parece estar funcionando. Ainda me sinto vazia. Não sei mais o que fazer. Quando eu realmente preciso ir na psicóloga, sou obrigada a ir viajar. Que merda! Se fosse pra viajar e não voltar mais pra esta cidade, ficar longe, tudo bem, mas sabendo que terei que voltar... Sei lá, deixa-me desanimada.
Mudando de assunto...
Amo essa música. Ela é triste, mas é uma realidade da época e muito bem feita. Não deixa explícita o que o autor quis dizer, mas todos entendem... Ou não, porque deve ter gente que pense que a música é deprimente demais e não entenda o que ela quer dizer. Hoje em dia, decaiu muito a qualidade das músicas, ninguém mais se preocupa com a letra, só com o ritmo. E eu me incluo nessa, mas no meu caso faço que nem os macaquinhos e tapo meus ouvidos só para poder dançar, que é uma coisa que eu gosto. Mas escuto muitas músicas por causa da letra, do ritmo e da percussão. Do junto completo. Ou só com a percussão e o ritmo, como as músicas de orquestras ou só piano, ou só violino, sempre me arrepio quando os escuto.

2 comentários:

Andarilho disse...

O importante é saber que tem dias que são totalmente diferentes tb.

Nina Rosa disse...

Às vezes, o desanimo é tanto que nem lembramos das coisas boas ou diferentes. Recentemente me decepcionei com uma pessoa e pra mim foi um choque muito grande. Por isso tudo o que escrevi. Mas nada como um colinho de mãe e uma boa conversa com ela para tudo melhorar.